Wilton Junior/Arquivo Estadão
Wilton Junior/Arquivo Estadão

Forças armadas e polícia fazem operação em 11 favelas das zonas oeste e norte do Rio

O objetivo era remover barricadas para permitir o patrulhamento ostensivo das Forças Armadas

Fábio Grellet, O Estado de S.Paulo

01 Maio 2018 | 18h16

RIO - Onze favelas de bairros vizinhos das zonas norte e oeste do Rio de Janeiro foram alvo, nesta terça-feira, 1, de uma operação promovida pelas Forças Armadas em conjunto com outras forças de segurança federais e as polícias Civil e Militar do Estado do Rio. O objetivo era remover barricadas para permitir o patrulhamento ostensivo das Forças Armadas. A ação começou pela manhã e até as 18h não tinha sido divulgado um balanço do resultado. Não houve registro de tiroteios nem de feridos.

+++ Intenso tiroteio na Rocinha fecha estrada no Rio de Janeiro

A ação ocorreu nas favelas Curral das Éguas, Fumacê, Muquiço, Palmeirinha, Batan, Minha Deusa, Parque das Nogueiras, Vila Vintém, Promorar I, Promorar II e Triângulo, situadas nos bairros de Bangu, Deodoro, Honório Gurgel, Magalhães Bastos, Padre Miguel, Realengo, Sulacap, Valqueire (zona oeste), Campinho e Ricardo de Albuquerque (zona norte).

Segundo nota emitida pelo Comando Conjunto da intervenção, foram usados veículos blindados, helicópteros e equipamentos de engenharia. Não houve interferência nas operações dos aeroportos. “Algumas ruas e acessos na região poderão ser interditados e setores do espaço aéreo poderão ser controlados, oportunamente, com restrições dinâmicas para aeronaves civis”, informou o Comando. “As ações têm por objetivo principal melhorar as condições de acessibilidade para que o patrulhamento ostensivo das Forças Armadas - que já vem sendo realizado em apoio à Polícia Militar - possa ser expandido àquela região da cidade”, diz a nota. “Em algumas das comunidades abrangidas as ações podem envolver cerco, estabilização dinâmica e remoção de barricadas, bem como revistas de veículos e de pessoas. A Polícia Militar realiza bloqueios em determinadas vias de acesso da região. A Polícia Civil apoia por meio da checagem de registros criminais e poderá, eventualmente, cumprir mandados de prisão ou de busca e apreensão em endereços específicos”, continua.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.