Wilton Junior/Estadão
Wilton Junior/Estadão

Forças Armadas e Polícia fazem operação na zona oeste do Rio

2.800 militares, 300 policiais militares e 240 policiais civis chegaram por volta das 22h30 a sete favelas da Praça Seca. Região é palco de intensos tiroteios há meses

Fábio Grellet, O Estado de S.Paulo

18 de maio de 2018 | 23h44

RIO - Em conjunto com as polícias Civil e Militar do Rio de Janeiro, as Forças Armadas promovem na noite desta sexta-feira, 18, uma operação em sete favelas da Praça Seca, bairro da zona oeste do Rio onde moram 150 mil pessoas e que há meses é palco de intensos confrontos envolvendo traficantes e milicianos. Até as 23h30 não havia registro de tiroteios nem de presos.

+ Violência se intensificou no Rio após intervenção, diz estudo

Segundo o Comando Conjunto da intervenção federal na segurança pública do Rio, 2.800 militares, 300 policiais militares e 240 policiais civis chegaram por volta das 22h30 às favelas Bateau Mouche, Caixa D’Água, Chacrinha, Mato Alto, Barão (José Operário), Covanca e Pendura-Saia. Com apoio de veículos blindados, helicópteros e tratores, o grupo pretende remover barricadas, revistar pessoas e veículos e fazer “cerco e estabilização” da área. “A Polícia Militar bloqueia vias de acesso às comunidades e apoia as ações de estabilização dinâmica”, informou nota do Comando Conjunto.

“A Polícia Civil realiza a checagem de antecedentes criminais e cumprirá mandados judiciais, condicionada às restrições constitucionais à inviolabilidade do lar”, continuou a nota. “Algumas vias na região poderão ser interditadas e setores do espaço aéreo poderão ser controlados, oportunamente, com restrições dinâmicas para aeronaves civis. Não há interferência nas operações dos aeroportos.”

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.