Fabio Motta/Estadão
Fabio Motta/Estadão

Forças de segurança fazem segundo dia de operação na Rocinha

Militares também realizam revistas de pessoas e de veículos, além da checagem de antecedentes criminais

Constança Rezende, O Estado de S.Paulo

26 de julho de 2018 | 11h08
Atualizado 26 de julho de 2018 | 15h46

RIO - Forças de segurança do Rio fazem nesta quinta-feira, 26, pelo segundo dia consecutivo, uma operação nas favelas da Rocinha e Vidigal, na zona sul do Rio. O objetivo é apreender armas e prender criminosos.

Participam da ação policiais do Comando de Operações Especiais (COE), da Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP) e do 1º Comando de Policiamento de Área (CPA). 

Integrantes das Forças Armadas trabalham no cerco da região e dão apoio às equipes da Polícia Militar que operam no interior da comunidade.  Segundo um balanço preliminar da PM, duas pessoas foram presas, três morteiros foram apreendidos e uma moto roubada foi recuperada até às 10 horas.

Os militares também realizam revistas de pessoas e de veículos, além da checagem de antecedentes criminais. São empregados 915 militares das Forças Armadas, que se revezam em turnos, com apoio de meios blindados e aeronaves.

De acordo com a polícia, algumas vias e acessos na região poderão ser interditados. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.