Fornecimento de água é interrompido em Paraty

Chuvas que caíram na madrugada de sábado danificaram uma adutora que garante o abastecimento de água

Nicola Pamplona, de O Estado de S. Paulo,

11 de janeiro de 2009 | 21h19

As chuvas que caíram na madrugada de sábado na Serra da Bocaina danificaram uma adutora que garante o abastecimento de água da cidade de Paraty, no sul fluminense. A prefeitura já iniciou os reparos e a expectativa é que em 48 horas a população volte a receber água potável. Ontem, os cerca de mil desalojados pela enchente começaram a voltar às suas casas e a contabilizar os prejuízos. Segundo o 26º Grupamento de Bombeiros Militares de Paraty, a lama invadiu muitas casas, danificando móveis e eletrodomésticos. Durante o dia, os bombeiros distribuíram colchões e garrafas de água mineral, doados pela Defesa Civil Estadual. Caminhões-pipa também foram deslocados de Angra dos Reis para garantir o abastecimento de água. Alguns moradores ainda permanecem em abrigos, enquanto a Defesa Civil vistoria suas residências. De acordo com os bombeiros, há casas que tiveram a estrutura abalada pela enchente e só poderão ser liberadas após avaliação por técnicos da Defesa Civil. Em alguns bairros, a água chegou a subir 1,5 metro, por conta de uma tromba d’água no Rio Perequê-Açu, que atingiu a cidade por volta das 3 horas de Sábado. O rio desce da Serra da Bocaina e corta a cidade para desaguar no mar perto do centro histórico, conhecido pelo casario colonial e que abriga vários hotéis, pousadas e restaurantes. As ruas de pedra do centro chegaram a ficar embaixo d’água, mas não houve maiores danos. Muitas pousadas localizadas do outro lado do rio, porém, estão fechadas por causa da lama. A situação ficou crítica em 12 bairros e, em alguns deles, os resgates tiveram de ser feitos por barcos. Os bombeiros continuam de prontidão, embora o tempo tenha melhorado ontem. Para esta segunda, 12, porém, há possibilidades de pancadas de chuva na região.

Tudo o que sabemos sobre:
Paraty

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.