Nasa/ISS/ ivulgação
Nasa/ISS/ ivulgação

Foto da Nasa revela mudança no estilo de iluminação do Rio de Janeiro

Desde o ano passado, a Prefeitura da capital fluminense vem substituindo as lâmpadas de vapor de sódio de 150 watts pelas do tipo LED, que são mais claras e duram mais tempo

Redação, O Estado de S.Paulo

18 de julho de 2022 | 22h48

Correções: 19/07/2022 | 14h28

A Nasa, agência aeroespacial dos Estados Unidos, divulgou no último domingo, 17, uma foto que evidencia o domínio das luzes brancas nas vias públicas do Rio de Janeiro. Desde o ano passado, a Prefeitura da capital fluminense, por meio de uma parceria com a iniciativa privada, vem substituindo as lâmpadas de vapor de sódio de 150 watts (amareladas) pelas do tipo LED, que são mais claras e duram mais tempo.

A imagem foi registrada pela Estação Espacial Internacional (ISS) a cerca de 420 quilômetros de distância do solo. Nela, é possível perceber o contraste com Niterói, que está à direita do Rio e da Baía de Guanabara (na parte direita da foto). No município vizinho, as ruas ainda são iluminadas por luzes mais amareladas.

"Rio de Janeiro, a segunda cidade mais populosa do Brasil, é fotografada durante uma passagem noturna orbital da Estação Espacial Internacional enquanto orbitava 261 milhas acima. As luzes dos barcos podem ser vistas espalhadas pela Baía de Guanabara", escreveu a Nasa em seu site ao publicar o retrato.

​Luz Maravilha

O predomínio das luzes claras é efeito do Luz Maravilha, um programa que vem repaginando a iluminação do Rio desde fevereiro de 2021.  

O projeto é tocado pela Companhia Municipal de Energia e Iluminação, a Rio Luz, em parceria com a empresa Smartluz. De acordo com o Executivo, 450 mil luminárias vão ser substituída por LED até o final deste ano. No começo de julho, a prefeitura informou que o programa já tinha chegado à 75% da meta e que 336.493 luminárias já tinham sido instaladas na cidade.

A nova iluminação de LED já está em todas as regiões do Rio, desde os 24 quilômetros da orla da Barra da Tijuca aos principais bairros e avenidas da cidade, como a Linha Vermelha, a Avenida Presidente Vargas (Centro), a Avenidade Brás de Pina, em Vista Alegre, e as avenidas Vieira Souto e Nossa Senhora de Copacabana, na Zona Sul.

Além da troca das luzes, o programa prevê a instalação de 35 mil postes de fibras  e a implementação de serviços de dez mil câmeras de segurança, sendo algumas com tecnologia de reconhecimento facial; pontos wi-fi e dez mil sensores para o controle de tráfego e de índice pluviométrico. O Luz Maravilha vai receber, ao todo, R$ 1,4 bilhão de investimentos.

Crescimento do LED

No Brasil, a procura pela instalação de redes de iluminação pública por LED tem aumentado. Pelo menos outras nove capitais nacionais, entre elas São Paulo, Curitiba e Salvador, utilizam o tipo de luz. Outras centenas de municípios também têm trocado as luminárias vapor de sódio pelas mais esbranquiçada, ou estudando a possibilidade.

As lâmpadas de LED, segundos os especialistas, são mais econômicas, duram mais e proporcionam maior sensação de segurança. Dados da Secretaria Municipal Urbanismo e Licenciamento (SMUL) de São Paulo, onde se utiliza mais de 541 mil lâmpadas de LED nas vias públicas, mostram redução de pelo menos 52% no consumo de energia na cidade.

 

Correções
19/07/2022 | 14h28

Diferentemente do publicado na versão original da matéria, a distância da Estação Espacial Internacional para a Terra é de cerca de 420 quilômetros.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.