Francês é morto a facadas na zona sul do Rio

Agressor estaria sob efeito de crack quando cometeu o crime, afirmou a polícia

Roberta Pennafort - O Estado de S.Paulo,

01 de maio de 2011 | 15h46

O francês Raphael Cyril Christophe Chamirllararo, de 30 anos, foi morto com várias facadas quando passava pela Rua Silveira Martins, no bairro do Catete, na zona sul do Rio, na noite de sábado. O agressor, Carlos César Pereira Alves dos Reis, de 56 anos, foi preso em flagrante. Ele estaria sob efeito de crack quando cometeu o crime.

O crime foi registrado na Delegacia de Homicídios, que não divulgou mais detalhes sobre o caso nem forneceu informações sobre a vítima. O Estado procurou o Consulado da França no Rio, mas não conseguiu falar com o plantão consular: a reportagem foi informada de que não havia ninguém no prédio, pois se tratava do feriado do Dia do Trabalho.

O francês andava com um amigo pela rua quando foi surpreendido. A Silveira Martins é transversal à Praia do Flamengo e relativamente movimentada, mesmo à noite, por ficar perto do Largo do Machado, ter dois hoteis e ladear o Palácio do Catete, que abriga o Museu da República e é antiga residência de presidentes da República.

De acordo com a Polícia Militar, Chamirllararo morava no Catete. Ele chegou a ser levado por bombeiros para o Hospital Souza Aguiar, no centro, mas já estava morto quando chegou. Reis teria problemas mentais e seria viciado em crack. Foi internado no Instituto Psiquiátrico Philippe Pinel, em Botafogo, e está sob escolta policial.

Apreensão - Em São Gonçalo, no Grande Rio, PMs apreenderam 1.608 mil pedras de crack e 120 trouxinhas de maconha. Foi de madrugada, por volta das 4h30, em Tribobó, numa localidade que é conhecido reduto de usuários de crack. Segundo a PM, a apreensão se deu graças a uma denúncia anônima. Quando os policiais se aproximaram, criminosos que guardavam a droga atiraram contra eles, enquanto escapavam.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.