Wilton Junior/Estadão
Wilton Junior/Estadão

Garota foi levada desacordada para local do estupro, diz polícia

Segundo delegada que conduz investigações, jovem de 16 anos relatou que foi para um lugar após baile funk e acordou em outro

Constança Rezende, O Estado de S. Paulo

03 de junho de 2016 | 12h19

RIO - A jovem de 16 vítima de estupro coletivo no Rio de Janeiro foi levada desacordada para o local do crime, segundo a delegada responsável pelas investigações, Cristiana Onorato Bento. A garota relatou ter acordado em uma casa no Morro da Barão classificada como "abatedouro", cercada por homens.

Segundo  a delegada, a jovem lhe relatou que ela foi com um casal de amigos e um outro homem para uma casa depois de um baile funk. Porém, acordou no outro lugar. Um homem a segurava, outros estavam ao seu redor.

"Os dois locais ficam próximos. O que estamos investigando é como ela foi carregada de um local para o outro e levada por quem", disse a delegada, nesta sexta-feira, 3.

Nesta quinta feira, 1, a delegada pediu a libertação de Lucas Perdomo,  um dos suspeitos de participação no crime, preso desde segunda feira, 30, com outro acusado, Raí de Souza. De acordo com a delegada, a segunda jovem, que teve relações sexuais com Lucas afirmou que os dois saíram juntos do primeiro local e por isso não estavam na cena do crime. Já Rai, que disse ter feito com a jovem sexo consentido, continua preso. É dele o celular em que foi gravado vídeo no qual a jovem aparece nua e sendo tocada por um dos suspeitos.

Na quinta-feira, a delegada pediu a prisão de mais duas pessoas acusadas de envolvimento no crime, Moisés de Lucena e um homem de apelido Jefinho. Eles seriam ligados ao tráfico de drogas da região. Moisés seria o homem que segurava a jovem quando ela despertou, e Jefinho teria feito a gravação, com o celular de Rai. A polícia ainda não sabe o nome completo de Jefinho, apenas as características físicas relatadas pelas testemunhas.

Tudo o que sabemos sobre:
#Estadão TrendsRio de JaneiroEstupro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.