Gerente do tráfico de drogas do Complexo da Maré é preso no Rio

Wallace Goulart, conhecido como Siri, é apontado como homem de confiança de líderes da facção Terceiro Comando Puro

Thaise Constancio, O Estado de S. Paulo

11 de setembro de 2014 | 13h36

RIO - O traficante Wallace Goulart, conhecido como Siri e apontado como homem de confiança de Menor P e TH, chefes do tráfico da facção Terceiro Comando Puro (TCP) foi preso nesta quarta-feira, 10, no Complexo da Maré, zona norte do Rio de Janeiro.

Siri era gerente do pó na Favela Salsa e Merengue, segundo na hierarquia local e braço direito de Thiago da Silva Folly, o TH. Chefe do tráfico de drogas das 10 favelas da Maré comandadas pelo TCP, TH assumiu o controle da facção desde as prisões dos traficantes Marcelo Santos das Dores, o Menor P, em março; e Fabiano Santos de Jesus, o Zangado, em maio.

Goulart foi preso em casa, onde os policias encontraram um fuzil AK-47 e uma pistola calibre 45 - ambas com carregadores, além de um rádio transmissor, um quilo de cocaína, 376 tubinhos de cocaína e quantidade não contabilizada de munição. Toda a contabilidade do tráfico também estava na casa.

"Como de praxe entre as pessoas que estão ascendendo no tráfico, ele não tinha passagem pela polícia, mas participava do comércio de drogas na região", afirmou o delegado Leonardo Macharet, responsável pela operação.

Os agentes da Delegacia de Roubos e Furtos de Cargas (DRFC) tiveram apoio de duas equipes dos Fuzileiros Navais e foram recebidos pela ex-mulher de Siri que não teve o nome revelado. A casa tinha "padrão (de residência) de pessoas que comandam o tráfico", disse o delegado.

A equipe chegou ao local para apurar a denúncia de que haveria uma grande quantidade de carga de cigarro roubada em uma casa na favela. Na saída da Salsa e Merengue, os comparsas ainda tentaram resgatar Siri. Houve troca de tiros, mas ninguém ficou ferido.

"A comunidade passa por um processo de pacificação (que, além dos Fuzileiros Navais, tem atuação do Exército). Qualquer queda de liderança facilita esse processo", completou Macharet.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.