Governo confirma epidemia de dengue em algumas áreas do Rio

Secretaria Estadual de Saúde recebeu em 2007 quase o dobro de notificações da doença registradas em 2006

Clarissa Thomé e Fabiana Cimieri, de O Estado de S. Paulo,

28 de dezembro de 2007 | 19h33

A Secretaria Estadual de Saúde do Rio confirmou que em alguns municípios do Estado e em algumas áreas da região metropolitana já está ocorrendo uma epidemia de dengue. As regiões mais afetadas estão no norte e noroeste do Estado, como no município de Ítaperuna e algumas áreas da região metropolitana, como Niterói e São Gonçalo. A Secretaria de Estado de Saúde recebeu 60.047 notificações da doença ao longo de 2007, quase o dobro do número de casos registrados no ano passado (31.054). A capital registrou 22.486 casos da doença. A Secretaria Municipal de Saúde investiga a morte de três pessoas, que tinham sintomas de dengue. Os pacientes estavam internados no Hospital Municipal Salgado Filho e morreram nos dias 22 de novembro e 12 e 17 de dezembro. A confirmação depende de laudo da Fundação Oswaldo Cruz, que está analisando o material colhido. Desde o início do ano, 29 pessoas morreram por dengue hemorrágica no Rio de Janeiro - 21 delas na capital. O superintendente de Vigilância em Saúde, Victor Berbara, disse que a tendência é a de que o número de casos aumente. "Desde 2005, estamos tendo uma diminuição da incidência de Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue, mas o número de casos vem aumentando, o que mostra que houve um aumento da contaminação pelo vírus".  Para a coordenadora-geral de vigilância epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde, Cecília Nicolai, não faz diferença se esses três casos suspeitos serão confirmados como morte por dengue. "Já estamos fazendo o trabalho de bloqueio, que é intensificar o combate aos focos do mosquitos pelos agentes de saúde no local de residência dessas pessoas", explicou.  Plano Verão Na sexta-feira, dia 14 de dezembro, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) iniciou o Plano Verão contra a Dengue com eventos no Monumento do Cristo Redentor e na Estação do Corcovado. Até março, serão intensificadas atividades educativas e de campo em diversos setores para evitar a proliferação do mosquito Aedes Aegypti. O evento de abertura contará com estande educativo com demonstração do ciclo evolutivo do mosquito transmissor da dengue, além de distribuição de material informativo e apresentação de esquete lúdico. Também haverá recolhimento de lixo e material que possa servir como criadouro do mosquito em toda a Estrada das Paineiras. O objetivo do plano é reforçar ações de controle da doença no município do Rio de Janeiro e estimular a participação de órgãos públicos, privados e da sociedade civil na prevenção, promoção e educação ambiental. Ao longo do verão serão realizadas ainda vistorias nos barracões das escolas de samba e reforço no combate ao Aedes aegypti no Sambódromo e nas suas proximidades. Inspeções na área da Cidade do Samba, Docas, Cais do Porto e na Rodoviária Novo Rio também estão agendadas.  Em pontos turísticos, como o Pão de Açúcar, serão promovidas atividades de campo e educacionais e em locais de grande movimentação como o Metrô, Linha Amarela e na Ponte Rio-Niterói serão exibidas mensagens educativas em cartazes e painéis luminosos. Brigadas Antidengue, que atuam como multiplicadores, serão treinadas em centros turísticos e de lazer. Desde o início do ano, foram formadas 150 brigadas antidengue, totalizando cerca de 4 mil profissionais treinados de diversas instituições e empresas. Quando esses profissionais não podem combater os focos, os funcionários do Centro de Controle de Vetores são acionados e vão ao local para sanar o problema. A SMS reforça a importância da participação popular para o sucesso do combate ao transmissor da dengue, evitando, dentro das residências, situações que possam contribuir para a proliferação de focos. A população pode ligar para o Tele-Dengue, no telefone 2575-0007, das 8 às 20h, para obter informações sobre a doença, solicitar a visita dos agentes ou mesmo para denunciar alguma situação propícia ao desenvolvimento do mosquito.

Mais conteúdo sobre:
Dengue

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.