Governo do Rio encerra resgate no acidente com trens

A nota do Corpo de Bombeiros informa que 60 homens do corporação trabalharam no resgate

AE, Agencia Estado

30 Agosto 2007 | 20h18

O governo do Rio de Janeiro informou que está encerrado o resgate das vítimas do acidente entre dois três, ocorrido por volta das 16 horas desta quinta-feira, 30, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Segundo o Corpo de Bombeiros, aparentemente, não há mais vitimas presas às ferragens das composições. De acordo com o governo do Estado, oito pessoas morreram, sendo seis homens e duas mulheres, e 40 ficaram feridos.A nota do Corpo de Bombeiros informa que 60 homens do corporação trabalharam no resgate e que 30 ambulâncias permanecem no local para atendimento às vitimas, que estão sendo levadas para o Hospital da Posse, em Nova Iguaçu, e para postos de saúde na região. Um dos feridos em estado grave foi levado de helicóptero para o Hospital Miguel Couto, na zona sul do Rio.    As causas do acidente devem ser conhecidas em dez dias, informou o diretor de Operações da Supervia, concessionária que administra a linha, João Gouvêa. Ele ainda desmentiu as primeiras informações de que os maquinistas dos trens haviam morrido na colisão. "Os dois maquinistas não faleceram e serão úteis para esclarecer o que houve. O laudo deve sair em 10 dias. Só então saberemos detalhes como a velocidade das composições", afirmou.O acidente com dois trens da Central do Brasil deixou 8 mortos e cerca de 70 feridos. Uma das composições tinha cerca de 400 passageiros e a outra estava vazia. De acordo com as informações da Supervia, o trem WP-908 atravessava da linha 1 para a linha 2, quando foi abalroado pelo trem de passageiros, prefixo UP-171. O acidente foi considerado o mais grave dos últimos seis anos, segundo a concessionária.O UP-171 partiu às 15h10 da Central do Brasil com destino a Japeri. O acidente ocorreu a cerca de 200 metros da estação de Austin, distrito de Nova Iguaçu, uma das últimas estações da linha. O choque foi tão forte que o último vagão do WP-908 descarrilou. Os dois primeiros vagões do trem de passageiros também saíram dos trilhos. Muitas pessoas ficaram presas às ferragens.Cerca de 60 bombeiros e 100 homens da Defesa Civil de Nova Iguaçu trabalharam no resgate dos passageiros. O presidente do Sindicato dos Ferroviários, Valmir Lemos, disse que o acidente ocorreu por problemas na sinalização da via férrea. "Nós fazemos essa denúncia há anos: a manutenção da via férrea é precária. O acidente ocorreu por problemas na sinalização", afirmou. var keywords = "";

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.