Grávida de 17 anos é morta a facadas por militar do Exército

Segundo a polícia, suspeito confessou o crime e está preso; ele teria dito que 'perdeu a cabeça após uma discussão', em Nova Iguaçu

Tiago Rogero, O Estado de S. Paulo

08 Dezembro 2014 | 09h19

RIO - Uma adolescente de 17 anos, grávida de cinco meses, foi morta a facadas neste domingo, 7, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. O principal suspeito é o pai da criança: um militar do Exército que, segundo a polícia, confessou o crime e já está preso.

Aos policiais, o militar lotado no 26º Batalhão de Infantaria Paraquedista, na Vila Militar, na zona oeste do Rio de Janeiro, teria dito que "perdeu a cabeça após uma discussão". Eles teriam se agredido e Neolan Oliveira Santiago, de 19 anos, usou uma faca de cozinha para matar a jovem, Liliane Ferreira da Silva, de 17 anos.

A jovem foi morta na casa da avó, onde morava. O caso está sendo investigado pela Divisão de Homicídios da Polícia Civil na Baixada Fluminense. O militar será indiciado por homicídio doloso e aborto, segundo os policiais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.