Wilton Junior / Estadão
Wilton Junior / Estadão

Duas grávidas são mortas na região metropolitana do Rio nesta 2ª

Bebê foi encontrado sem vida em Belford Roxo; criança foi retirada do corpo da mãe na zona oeste do Rio e está em estado grave

Constança Rezende e Fábio Grellet, O Estado de S.Paulo

12 Março 2018 | 13h17
Atualizado 12 Março 2018 | 21h54

RIO - Grávida de 5 meses, Katyara Pereira da Silva, de 31 anos, foi encontrada morta dentro de casa, em Belford Roxo, na Baixada Fluminense, na manhã desta segunda-feira, 12. O bebê também estava morto. Foi o segundo caso de grávida morta no dia: também na manhã desta segunda-feira, Dandara Damasceno de Souza, que tinha 21 anos e estava grávida de 6 meses, foi atingida por um tiro no rosto na Vila Vintém, na zona oeste do Rio de Janeiro, e morreu. Retirado do corpo da mãe por uma cesariana de emergência, o bebê estava internado em estado grave no Hospital Municipal Albert Schweitzer, em Realengo, na zona oeste.

+++ Em 10 meses, intervenção no Rio pode ‘estancar descontrole’

Katyara estava caída no chão de sua casa, na Rua Diogo Moreira, no Parque São José, com um saco plástico na boca. Ela já tinha duas filhas e era separada. A polícia investiga o ex-marido, com quem a mulher teria divergências. O caso é investigado pela Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF).

+++ LEIA TAMBÉM: Rio de Janeiro tem novo fim de semana de violência

Sobrea a morte de Dandara, a Polícia Militar afirmou, em nota, que o 14.º Batalhão de Polícia Militar foi informado que uma mulher foi ferida por disparo de arma de fogo e deu entrada no hospital. Segundo o comando do batalhão, não era realizada operação do batalhão no momento em que a grávida foi atingida. Também não houve registro de ocorrência na região.

Apesar da intervenção federal, o Rio de Janeiro viveu mais um fim de semana de violência. Após um sábado com registros de assassinatos e assaltos, o domingo amanheceu com intenso tiroteio na comunidade da Rocinha, na zona sul do Rio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.