Reprodução/Google Street View
Reprodução/Google Street View

Grávida morre em tiroteio em Madureira às vésperas da eleição

Liliane Rodrigues da Costa, de 33 anos, chegou a ser socorrida, mas não resistiu aos ferimentos; pelo menos outros duas pessoas ficaram feridas em confronto

Fábio Grellet, O Estado de S.Paulo

28 de novembro de 2020 | 21h05

RIO - Um tiroteio matou uma mulher grávida e deixou pelo menos outras duas pessoas feridas no bairro de Madureira, na zona norte do Rio, na tarde deste sábado, 28. Vítima de bala perdida, Liliane Rodrigues da Costa, de 33 anos, chegou a ser socorrida, mas não resistiu aos ferimentos.

Segundo a Polícia Militar, por volta das 16h, PMs que faziam ronda pela avenida Ministro Edgard Romero, uma das principais da região, teriam sido atacados por criminosos que estavam no alto do morro da Serrinha. O Batalhão de Choque e o Batalhão de Rondas Especiais e Controle de Multidão foram chamados e o tiroteio se estendeu, causando pânico entre moradores.

Liliane, que estava grávida, foi alvejada e socorrida à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Irajá, na mesma região. Ela morreu enquanto recebia atendimento, segundo a Secretaria Estadual de Saúde. Também ficaram feridos por balas perdidas Pietro David Alves e Daiane Ribeiro Queiroz, que foram atendidos na mesma UPA. Eles sofreram lesões superficiais e já receberam alta.

Por causa do confronto, o comércio fechou as portas antes do horário previsto. Com a morte da gestante, moradores do morro da Serrinha fizeram um protesto e interromperam o trânsito nessa mesma avenida.

Até as 20h30 não havia registro de pessoas presas. Os criminosos que atiraram contra os policiais estariam no alto do morro e conseguiram fugir antes que a polícia chegasse até lá. Eles não haviam sido identificados até a noite deste sábado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.