Jose Lucena / Estadão Conteúdo
Jose Lucena / Estadão Conteúdo

Rio de Janeiro entra em 'estágio de mobilização' por causa de greve dos rodoviários e risco de chuva

Centro de Operações da cidade está tentando evitar ocorrências de alto impacto para a rotina da população

Júnior Moreira Bordalo, O Estado de S.Paulo

29 de março de 2022 | 02h25

O Centro de Operação da Prefeitura do Rio de Janeiro anunciou que o município entrou, desde às 0h desta terça-feira, 29, em Estágio de Mobilização por causa do início da greve dos rodoviários e o indicativo de chuva moderada para as próximas horas. 

O Estágio de Mobilização é o segundo nível em uma escala de cinco e significa haver riscos de ocorrências de alto impacto na cidade, podendo afetar a rotina de parte da população.

De acordo com informações do Alerta Rio, núcleos de chuva atuam em diversos pontos da Zona Oeste da Capital e que há previsão de pancadas de chuvas moderadas nesta terça-feira.

Além disso, em assembleia na noite desta segunda-feira, 28, o Sindicato dos Rodoviários do Município do Rio decidiu decretar greve de motoristas dos ônibus urbanos e dos BRTs a partir da virada do dia por tempo indeterminado. 

Em nota enviada ao Estadão, a Prefeitura do Rio informou que os serviços de ônibus convencionais na cidade estão operando. "Durante a madrugada houve  dificuldade para iniciar a operação, mas a prestação do serviço dos ônibus está sendo regularizada".  Um Termo de Conciliação firmado em abril de 2018 estabelece que em caso de greve, pelo menos, 50% das linhas que deixam de circular precisam operar em até 24 horas para atender a população. 

A administração orienta também o trabalho remoto aos cariocas e, caso haja a necessidade da ida presencial, a indicação é evitar o horário de pico do Metrô, barcas, trens e VLT.  

Reforço na operação dos modais

1) VLT: extensão do horário de pico conforme a demanda, garantindo 7 minutos de intervalo nas 3 linhas.

2) Metrô: oferta extra nos horários de entrepico conforme necessidade, podendo também estender os horários de pico nos trens e Metrô na Superfície.

3) Supervia: oferta de trens reservas posicionados no Ramal Santa Cruz e Gramacho. Caso a demanda de passageiros tenha acréscimo, os mesmos serão adicionados à operação, podendo antecipar a operação do pico vespertino.

4) Barcas: Uso de embarcações maiores na ligação Cocotá - Praça XV. Os horários das linhas, exceto Cocotá e Paquetá, foram retomados de acordo com os intervalos pré-pandemia.

5) Intermunicipais: Reforço de linhas que passam no município.

Ações complementares

As vans e os "cabritinhos" –  veículos que circulam em comunidades - estão autorizados a desviar o itinerário para atender estações de trem, metrô e BRT nas áreas de planejamento das respectivas linhas e uso das faixas de BRS.

A Companhia de Engenharia de Tráfego do Rio de Janeiro (CET-Rio) garantiu que monitorará pontos críticos quanto a eventuais impactos na circulação para ações de operação de tráfego com objetivo otimizar a fluidez do trânsito principalmente nos arredores dos terminais Alvorada, Recreio, Fundão, Jardim Oceânico, Central do Brasil e Mato Alto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.