Grupo vai à delegacia e assume linchamento na zona sul do Rio

O vendedor de gelo Fabiano Machado da Silva foi espancado até a morte no Arpoador após discutir com duas mulheres

Fábio Grellet, O Estado de S. Paulo

16 Novembro 2015 | 19h41

RIO - Um grupo de pessoas - o número exato não havia sido confirmado até as 17h15 - foi até a 74ª Delegacia de Polícia, no bairro de Alcântara, em São Gonçalo, por volta das 16 horas desta segunda-feira, 16, e assumiu ter agredido o vendedor de gelo Fabiano Machado da Silva, de 33 anos, que morreu espancado na manhã de domingo, 15, no Arpoador, na zona sul do Rio.

O grupo foi conduzido à Delegacia de Homicídios do Rio, na Barra da Tijuca (zona oeste), onde prestaria depoimento. Até as 17h15 não havia informações sobre a versão contada pelos agressores confessos nem se alguém permaneceria preso pela Polícia Civil.

Silva foi agredido após discutir com duas mulheres, na manhã de domingo. Ele estava armado com uma barra de ferro, que uma das mulheres conseguiu pegar de suas mãos.

Após vários momentos de discussão, cuja razão ainda não foi esclarecida, as duas mulheres e um grupo de rapazes começaram a agredir Silva, que caiu e desmaiou. Mesmo desacordado, ele continuou sendo agredido. Os agressores se dispersaram após deixar o vendedor caído na calçada.

Um rapaz roubou o celular de Silva e conversou com familiares do vendedor, por meio do WhatsApp, alertando que o rapaz havia apanhado muito. "Abusado, foi mexer com a mulher dos outros e ainda bateu em mulher", postou a pessoa.

Silva foi enterrado na tarde desta segunda-feira no Cemitério de Vila Rosali, em São João de Meriti. Familiares disseram que o vendedor de gelo era tranquilo e sempre disposto a ajudar os outros. Na noite de sábado o rapaz havia ido a uma festa na areia da praia do Arpoador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.