Christianne Gontijo/Divulgação
Christianne Gontijo/Divulgação

Guarda Municipal usa bombas de gás para dispersar foliões no Rio

Confusão começou por volta das 19h45, quando agentes atingiram participantes de evento carnavalesco e vendedores ambulantes

Fábio Grellet, O Estado de S. Paulo

03 Janeiro 2016 | 22h46

RIO - Guardas municipais do Rio de Janeiro usaram bombas de gás e balas de borracha para dispersar foliões que participavam de um evento carnavalesco no início da noite deste domingo, 3, no centro da capital fluminense.

A confusão começou por volta das 19h45, quando cerca de 400 foliões chegavam à Cinelândia. Segundo participantes do evento, a primeira ação dos guardas foi direcionada aos vendedores ambulantes que acompanhavam o cortejo. Eles estariam trabalhando sem autorização da prefeitura. Mas foliões foram atingidos também, e a confusão se ampliou.

Um grupo de participantes do desfile carnavalesco se postou sobre a escadaria do Palácio Pedro Ernesto, onde funciona a Câmara Municipal. Os guardas então começaram a dispersar os foliões.

Houve tumulto, e os guardas recorreram a balas de borracha e bombas de gás. Os foliões se dispersaram, e a confusão terminou.

Abertura do carnaval. Os foliões participavam de um evento que se repete no primeiro dia do ano desde 2009, a "Abertura Não Oficial do Carnaval do Rio de Janeiro". É um desfile organizado por um grupo de blocos em protesto contra as exigências da prefeitura do Rio para se apresentar na cidade nos dias de carnaval.

Neste domingo, o evento começou na Praça XV e chegou a reunir duas mil pessoas.

A reportagem do Estado tentou ouvir a versão da Guarda Municipal sobre o episódio, mas até as 22 horas deste domingo não havia conseguido.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.