(AP Photo/Eraldo Peres)
(AP Photo/Eraldo Peres)

'Há muita mídia', diz interventor que vai comandar segurança do Rio

O general Walter Braga Netto pouco falou em coletiva no Planalto, mas revelou preocupação com o potencial midiático do decreto assinado pelo presidente Michel Temer

Tânia Monteiro, Brasília

16 Fevereiro 2018 | 16h38

Nomeado interventor na segurança pública do Rio de Janeiro, o general Walter Braga Netto, afirmou que a situação da violência no Estado não está tão ruim. Ao ser questionado nesta sexta-feira, 16, no Palácio do Planalto, respondeu haver "muita mídia" em cima do assunto.

Braga Netto pouco falou na entrevista concedida no Palácio do Planalto, ao lado dos ministros do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Sérgio Etchegoyen, e da Defesa, Raul Jungmann, justificando que tinha “acabado de receber a missão”, que ainda “estava em fase de planejamento” e por isso não poderia adiantar nada sobre como será desenvolvido o trabalho. Questionado pelo Estado após a declaração, o general disse que “a situação do Rio é grave, mas não está fora de controle”.

+++ Acompanhe ao vivo a repercussão da intervenção federal na segurança do Rio

+++ Sobre a intervenção federal na Segurança Pública do Rio de Janeiro

O Decreto Presidencial que formaliza a intervenção federal no Estado do Rio de Janeiro foi publicado em edição extraordinária do Diário Oficial da União (DOU) desta sexta-feira. O ato tem como objetivo "pôr termo ao grave comprometimento da ordem Pública no Estado do Rio de Janeiro". Pelo texto, a intervenção se dará até o dia 31 de dezembro de 2018 e se limita à área de segurança pública.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.