Homem acusado de assassinar sargento no Rio é preso

Acusado do assassinato do sargento do Exército Bruno Peçanha Veras, de 35 anos, foi preso dentro do Barra Shopping, na zona oeste

Clarissa Thomé, O Estado de S.Paulo

03 Setembro 2016 | 11h48

Um homem acusado do assassinato do sargento do Exército Bruno Peçanha Veras, de 35 anos, foi preso dentro do Barra Shopping, na zona oeste, na noite desta sexta-feira, 2. Luan Souza da Silva, o Luanzinho, de 19 anos, estava com um revólver e foi preso também por porte ilegal de arma. Outro suspeito do crime já estava preso.

Veras foi assassinado na tarde de quinta-feira, 25 de agosto. Ele passava de moto pela Rua Candido Benício, na Praça Seca, zona oeste, quando foi abordado por Luanzinho e Jeferson Mikael dos Santos. O sargento reagiu e houve troca de tiros. Ferido no abdômen, o militar chegou a ser levado para o Hospital Estadual Carlos Chagas, mas não resistiu.

Após o confronto, Luanzinho fugiu. Baleado, Santos rendeu um policial militar que estava de folga e o obrigou a leva-lo à Unidade de Polícia Pacificadora da Cidade de Deus. Ao chegar à UPA, o policial dominou o criminoso e o desarmou. Para a polícia, Santos e Luanzinho cometeram o crime para roubar a motocicleta do militar. Luanzinho já tinha mandado de prisão por um assalto praticado em 12 de julho, em São Conrado, na zona sul.

Mais conteúdo sobre:
ViolênciaRio de Janeiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.