Homem é baleado em novo tiroteio no Complexo do Alemão

De acordo com a PM, houve confronto entre criminosos e policiais; a vítima foi socorrida no hospital municipal Salgado Filho e já teve alta

Thaise Constancio, O Estado de S. Paulo

28 de julho de 2014 | 15h47

RIO - Em mais um dia tenso no complexo de favelas do Alemão, na zona norte do Rio, houve novo tiroteio entre policiais militares e criminosos na manhã desta segunda-feira, 28, segundo a Polícia Militar. Por volta das 11h, PMs da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Morro do Alemão patrulhavam local conhecido como Largo da Pedra quando "um homem efetuou disparos contra os policiais, que reagiram", informaram os militares. 

Um homem foi baleado. Segundo a PM, a vítima foi socorrida no hospital municipal Salgado Filho, no Méier, a 6km do Alemão. "Ele já recebeu alta e está sendo conduzido ao 45ª DP (Alemão) para prestar esclarecimentos", informou a polícia. 

Apesar do novo tiroteio, o teleférico está funcionando normalmente desde o início do dia, de acordo com a concessionária Supervia, que administra o equipamento. As unidades públicas de ensino do Alemão, segundo as secretarias municipal e estadual de Educação, também estão abertas. Por conta de tiroteios na semana passada, tanto teleférico quanto escolas passaram dias fechados no Alemão.

Na tarde de domingo, um senhor de 60 anos morreu após ser baleado no Alemão. Segundo a PM, policiais da UPP avistaram moradores socorrendo Antônio França, de 60 anos, para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Alemão, na Estrada do Itararé. "Em seguida, Antônio foi transferido, com o auxílio dos policiais da UPP, ao Hospital Getúlio Vargas, na Penha, mas não resistiu aos ferimentos e morreu", informou a polícia.

O idoso, ainda de acordo com a PM, era morador do Alemão e "teria sido atingido por disparos no Beco da Geralda, na comunidade da Nova Brasília". A polícia informou que "não houve registro de confrontos na região no horário fato". O caso foi encaminhado para a Divisão de Homicídios da Polícia Civil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.