Homem faz garota refém dentro de ônibus em Copacabana

Vítima saiu sem ferimentos e suspeito foi preso pela Polícia Militar; crime aconteceu em uma das avenidas mais movimentadas do bairro

Marcio Dolzan, O Estado de S. Paulo

07 de junho de 2015 | 11h27

Atualizado às 12h58.

RIO - Um homem ainda não identificado fez uma jovem refém num ônibus da linha 125 em Copacabana, na manhã deste domingo. A ocorrência aconteceu na avenida Nossa Senhora de Copacabana, uma das mais movimentadas do bairro. O caso durou poucos minutos e ele acabou preso pela Polícia Civil, com auxílio de policiais militares. A jovem saiu sem ferimentos.

O suspeito, cuja identidade não foi revelada e tem cerca de 30 anos, está detido na 12°DP, em Copacabana. Segundo a delegada  Thaiane Moraes, que investiga o caso, ele será enquadrado nos crimes de cárcere privado e por atrapalhar o transporte público. Somada, a pena máxima prevista para os dois crimes é de até cinco anos. 

Apesar de ter passagem por roubo, o suspeito não pretendia praticar o mesmo crime. "Ele avisou a todo momento que não iria machucá-la e não queria nenhum bem material", contou a delegada. "Ele só queria a presença da imprensa."

A refém é a auxiliar de enfermagem Leila Lima, de 26 anos, que voltava do trabalho. "Ele não fez nada, só me ameaçou. Disse que estavam tentando matá-lo e queria me usar como escudo", declarou a vítima. 

Segundo o motorista do ônibus,  Edison Pacheco de Souza, 58, o suspeito havia embarcado algumas paradas antes de Leila. Pouco depois de a jovem entrar, ele a agarrou pelo abdômen fazendo sinal de que estava armado - o que  não se confirmou. 

Pacheco dirigiu o ônibus por algumas quadras e parou na propria avenida Nossa Senhora de Copacabana,  na esquina com a Hilário de Gouveia e a apenas uma quadra da delegacia. Avisados, agentes da própria DP foram negociar a rendição, que ocorreu sem que o suspeito esboçasse reação. Pelo menos três viaturas da PM deram apoio.

Tudo o que sabemos sobre:
riocopacabana

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.