Fábio Motta/Estadão
Fábio Motta/Estadão

Homem morre e outro fica ferido em assalto na Estação Uruguaiana

Vítima foi atacada por três assaltantes dentro da parada de metrô; local estava lotado no momento em que os disparos se iniciaram

Danielle Villela e Sergio Torres, O Estado de S. Paulo

10 de julho de 2015 | 14h36

Atualizada às 18h06

RIO - Um homem foi morto a tiros e outro ficou ferido em assalto dentro da estação do metrô Uruguaiana, uma das mais movimentadas do centro do Rio, por volta das 13h desta sexta-feira, 10. O office boy Alexandre Oliveira, 46 anos, foi atingido por dois disparos, no tórax e no pescoço, ao ser abordado na bilheteria por três bandidos, um deles armado. O bando fugiu com a mochila da vítima, que morreu no local. O passageiro Diogo Munhoz, de 34 anos, foi atingido por estilhaços no joelho e atendido no local, segundo o Corpo de Bombeiros.

Toda a dinâmica do assalto foi registrada pelas câmeras de segurança da estação, de acordo com o delegado Rivaldo Barbosa, da Divisão de Homicídios. “Ele foi atingido por trás covardemente. Ao que parece, não houve reação, apenas o ato reflexo de segurar a mochila”, disse. O caso está sendo tratado como latrocínio (roubo seguido de morte). Será verificado nas imagens das câmeras de segurança se Oliveira vinha sendo seguido pelos bandidos.

Além da análise das imagens das câmeras, testemunhas e parentes da vítima serão interrogados por agentes da Divisão de Homicídios. Segundo familiares, Oliveira trabalhava havia cerca de 20 anos fazendo saques em agências bancárias e transportando quantias em dinheiro para clientes no centro do Rio. O office boy não possuía moto e atuava a pé.

“Ele fazia isso todos os dias. Com certeza, os bandidos sabiam desse detalhe”, afirmou Almir Álvaro, concunhado da vítima. Após os tiros, policiais militares do 5º Batalhão (Praça da Harmonia) interditaram a estação. “Foi muito pânico, gritaria, uma correria danada, muita gente filmando. Só vi o homem estendido no chão na frente da bilheteria”, afirmou o comerciante Ricardo Alexandre, 33 anos, que estava na esquina da Rua Senhor dos Passos, onde há um acesso à estação.

Por causa do crime, a estação Uruguaiana foi fechada para embarque e desembarque por cerca de três horas, mas o funcionamento das linhas 1 e 2 não foi afetado.

 

“A concessionária lamenta profundamente o ocorrido e vai colaborar com o que for necessário à investigação pelas autoridades”, informou em nota o MetrôRio.

O assalto ocorre na semana em que a estação do metrô está cercada por guardas municipais e policiais civis da Delegacia de Repressão a Crimes de Propriedade Imaterial, que desde a última terça-feira realizam operação de busca e apreensão de mercadorias pirateadas no camelódromo da Uruguaiana.

“Isso é um absurdo. Um monte de policial ali tirando o emprego dos comerciantes, enquanto os bandidos estão aqui matando livremente”, afirmou Pablo Rodrigues, diretor do camelódromo.

Outros assaltos. Na noite de 12 de março, quatro bandidos (dois deles armados com revólveres) roubaram passageiros de um vagão que circulava entre as estações Largo do Machado e Flamengo, na zona sul. Pelo menos 16 pessoas foram assaltadas e tiveram que entregar objetos pessoais e dinheiro. 

Treze dias depois, por volta das 22h30, um novo arrastão entre as estação Glória e Catete, também na zona sul, deixou pelo menos sete vítimas. Dos cinco ladrões que participaram dessa ação, três foram detidos após investigações./COLABOROU FABIO GRELLET

Tudo o que sabemos sobre:
ViolênciaRio de JaneiroMetrô

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.