Hospital dá alta a 38 recrutas internados da Marinha no Rio de Janeiro

57 aspirantes a fuzileiros foram internados após surto de síndrome respiratórias

Marcela Bourroul Gonsalves , estadão.com.br

22 Agosto 2011 | 18h39

SÃO PAULO - Dos 57 recrutas internados no Hospital Naval Marcílio Dias, no Rio de Janeiro, 38 apresentaram melhora e receberam alta na tarde desta segunda-feira, 22. Segundo o Comando do Primeiro Distrito Naval, eles retornarão às suas atividades normais no Curso de Formação de Soldados do Corpo de Fuzileiros Navais e serão acompanhados pela Divisão de Saúde do Centro de Instrução Almirante Milcíades Portela Alves (Ciampa).

Os demais alunos internados apresentam boa evolução clínica e continuam recebendo assistência médica. O aluno Victor Hugo, que apresentou quadro de problema renal, deixará a Unidade de Terapia Intensiva e será transferido para quarto hospitalar ainda hoje. Leonardo Gama apresentou um quadro de melhora, mas ainda necessita de cuidados, segundo a Marinha.

Em relação a Maria Souza, avó de Leonardo Gama, a Marinha afirmou que está prestando a assistência necessária. Ela havia reclamado em entrevista à imprensa por chegar ao Rio sem dinheiro para visitar o neto e que não estaria recebendo nenhum tipo de suporte. A Marinha alegou que não havia sido contatado pela mesma e só tomou conhecimento do fato posteriormente.

Os aspirantes a fuzileiros navais foram internados após um surto de síndrome respiratórias. Eles estavam em treinamento no Ciampa, em Campo Grande, na zona oeste do Rio.

Segundo parentes dos rapazes, eles tiveram pouco acesso à água durante o treinamento. A Defensoria Pública da União vai oficiar a Marinha, a secretaria municipal de Saúde do Rio e a direção do Hospital Naval Marcílio Dias para esclarecer o que provocou a internação dos jovens.

A Marinha disponibilizou um telefone de contato para que as famílias dos recrutas matriculados no curso, que ainda tiverem dúvidas ou apresentarem alguma necessidade especial. O telefone do Comando do Corpo de Alunos é (21) 3402-9357 e o atendimento será realizado das 8h às 18h.

Mais conteúdo sobre:
MarinharecrutasCiampa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.