FABIO MOTTA/ESTADÃO
FABIO MOTTA/ESTADÃO

Hotel Paineiras terá centro de visitantes para a Olimpíada

Obras em estrutura ficaram 2 anos paradas e serão retomadas em setembro; Corcovado terá nova bilheteria

Danielle Villela, O Estado de S. Paulo

13 Agosto 2015 | 03h00

RIO - Suspensa pelo Tribunal de Contas da União (TCU) em outubro de 2013 por falta de licenciamento, a construção de um centro de visitantes no antigo Hotel Paineiras, no Parque Nacional da Tijuca, no Rio, será retomada em 30 dias. A obra do Centro de Visitantes das Paineiras recebeu aval do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) no dia 28 de julho. Em janeiro deste ano, a construção havia sido licenciada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e a conclusão agora está prevista para a Olimpíada de 2016.

Cerca de 200 árvores do parque, entre espécies exóticas e nativas, foram derrubadas no início das obras, antes da suspensão do TCU. “Foram retiradas somente árvores que estavam em áreas de estacionamento e jardins, não foi feita nenhuma retirada de árvore em área de floresta. Independentemente disso, colocamos como condicionante que o consórcio replantasse três vezes o número de árvores retiradas”, disse Ernesto Viveiros de Castro, chefe do Parque Nacional da Tijuca.

Inaugurado por D. Pedro II em 1884 e abandonado há 30 anos, o antigo Hotel Paineiras abrigará um complexo turístico com dois restaurantes, uma lanchonete, uma loja de souvenirs, um espaço cultural para exposições temporárias. Haverá também uma exposição multimídia permanente sobre o Parque Nacional da Tijuca, além de novas estruturas de bilheteria para o Corcovado. 

“Hoje o turista chega aqui e, além de ver a vista, não tem o que fazer. Isso tudo vai mudar a experiência com a visita ao Cristo Redentor. Muitas vezes o turista fica chateado porque tem de esperar para subir. Essa é a grande mudança, transformar esse local em um ponto turístico também”, afirmou ontem o secretário especial de Turismo do Rio, Antônio Pedro Figueira de Mello.

O Corcovado recebe cerca de 4 mil visitantes por dia. O plano de manejo do Parque Nacional da Tijuca restringe a entrada de 1,2 mil pessoas por hora no platô principal do monumento. 

Investimento. Cerca de R$ 25 milhões serão investidos nesta primeira fase das obras pelo Consórcio Paineiras-Corcovado, vencedor da licitação realizada em 2012 pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). Por 20 anos, o consórcio vai explorar os serviços na área do Hotel Paineiras, além da venda de ingressos para o Cristo Redentor e a operação das linhas de vans que dão acesso ao local partindo de Paineiras, Copacabana e Largo do Machado, na zona sul. Desde 2013, os ingressos podem ser comprados online e com hora marcada para o embarque.

Na entrevista, o secretário Mello propôs que seja incluído um ponto de partida de vans na Barra da Tijuca, na zona oeste do Rio. “A Barra da Tijuca está se firmando, com os Jogos Olímpicos, como nosso segundo polo hoteleiro. A gente não vai querer que o turista pegue o carro ou o metrô até Copacabana para pegar a van.”

Hoje, o acesso ao Cristo Redentor pode ser feito também pela Estrada de Ferro do Corcovado, no Cosme Velho, ou em veículos particulares. “Isso aqui era um caos, vinham todos de carro, em um lugar que não comporta”, disse o secretário. A construção do Centro de Visitantes prevê também ações de ordenamento do trânsito na região, com proibição de estacionamento em algumas áreas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.