Identificadas as últimas vítimas do choque de trens no Rio

Acidente deixou oito mortos e mais de cem feridos na quinta-feira em Nova Iguaçu

Clarissa Thomé, do Estadão

01 Setembro 2007 | 11h39

Foram identificados nestes sábado, 1, outros dois corpos de vítimas do choque de dois trens que ocorreu na tarde de quinta-feira, 30, na Baixada Fluminense. Oito pessoas morreram e mais de cem ficaram feridas no acidente, próximo à estação de Austin, em Nova Iguaçu.   Heleno Paiva Costa, de 21 anos, será sepultado no início da tarde deste sábado no cemitério de Olinda, em Nilópolis. José Marcelino da Silva, de 65, também tem enterro previsto para este sábado, no cemitério de Engenheiro Pedreira, em Japeri, mas o horário ainda não foi definido.   Polícia vê falha de controle de trens Privatização não resolveu problemas nas linhas Governo encerra resgate às vítimas  Laudo do choque de trens sai em 10 dias Concessionária já foi multada duas vezes Veja local do acidente  Veja outros acidentes no Brasil e no mundo  Galeria de fotos    Cerca de 300 pessoas acompanharam no início da manhã deste sábado o enterro do estudante Renan Pedrosa Moreira, de 18 anos, outra vítima do acidente. Renan, que recentemente gravou um CD com seu grupo de funk, se apresentaria na noite deste sábado em um baile em Anchieta, na zona oeste do Rio. O pai do estudante, o motorista Gilson Moreira, estava inconformado e culpou a concessionária do sistema de trens urbanos pela tragédia.   "A Supervia matou o meu filho. O que eles fizeram foi uma matança. Meu filho era cheio de sonhos, estava só começando", afirmou Moreira. O enterro foi acompanhado por muitos adolescentes amigos de Renan. Muito emocionados, alguns jovens desmaiaram. O pai e a mãe, Aparecida, também ficaram abalados e não tiveram condições de acompanhar o sepultamento.   O maquinista de uma das composições, Wellington da Rocha, continua internado em estado grave num hospital de Duque de Caxias, na Baixada. Ele sofreu trauma na medula.

Mais conteúdo sobre:
Choque de trens

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.