Indiciada por morte de zelador em SP deve passar por acareação no Rio de Janeiro

A advogada Ieda Martins é suspeita de ter participado do assassinato do ex-marido, no Rio, em 2005

O Estado de S. Paulo

17 de julho de 2014 | 15h48

SÃO PAULO - Está prevista para a tarde desta quinta-feira, 17, uma acareação entre a advogada Ieda Martins, suspeita de envolvimento na morte do zelador Jezi de Souza, em São Paulo, e de participação no assassinato do ex-marido, no Rio, em 2005, com a mãe dela. 

Acompanhada do advogado Geraldo Assed, Ieda deixou São Paulo na tarde desta quarta-feira, 16, e passou a noite na carceragem da 36.ª DP (Santa Cruz), na zona oeste do Rio. Depois da acareação, a advogada deverá seguir para o presídio Bangu 8, já que existe um mandado de prisão temporária contra ela.

Ieda foi indiciada em São Paulo com o atual marido, o publicitário Eduardo Martins, sob a acusação de ter participado do assassinato do zelador, em maio. De acordo com a polícia do Rio, ela também é suspeita de ter participado do assassinato do ex-marido, o empresário José Jair Martins, em 2005. A advogada nega as duas acusações.

"O delegado intimou para uma acareação a mãe da Ieda, Sebastiana, por achar necessário confrontar versões. A versão dela (Ieda) é a mesma: ela não participou de nenhum homicídio, é inocente", afirmou o advogado da suspeita, Marcelo Muccio. Ele disse que pediu, em São Paulo, uma nova perícia da arma que, segundo a polícia do Rio, teria sido usada no crime de 2005.

Mais conteúdo sobre:
Caso do zelador

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.