Marcos Arcoverde/ICM 2018
Marcos Arcoverde/ICM 2018

Iraniano receberá outra Medalha Fields após ter sido furtado no Rio

Duas pessoas estão sendo procuradas pelo furto cometido no Congresso Internacional de Matemática, sediado pela primeira vez no Brasil. Nova cerimônia ocorrerá neste sábado

Fábio Grellet, O Estado de S.Paulo

03 Agosto 2018 | 21h00

RIO - Três dias após ter perdido para ladrões a Medalha Fields que ganhara, o matemático iraniano Caucher Birkar, de 40 anos, vai receber neste sábado, 4, outro exemplar da láurea, a mais importante láurea mundial da matemática. A primeira foi furtada dentro do Riocentro, centro de exposições onde ocorria a abertura do Congresso Internacional de Matemática, minutos após ser entregue a Birkar. A polícia já sabe os nomes de dois suspeitos de cometer o furto, mas até a noite desta sexta-feira, 3,  não havia conseguido localizá-los.

A medalha extra será entregue durante uma cerimônia no Riocentro ao meio-dia deste sábado. A peça seria exposta na sede da União Internacional de Matemática, em Berlim. Essa entidade é autora da premiação, que pela primeira vez ocorreu no Brasil.

Nessa medalha não havia sido impresso o nome de ninguém, mas está sendo providenciado o registro de Birkar. Fabricada no Canadá, em ouro 14 quilates, a peça vale cerca de R$ 15 mil. Ela tem gravado em um dos lados o rosto de Arquimedes, matemático grego que viveu três séculos antes de Cristo. Também está inscrita a frase "Transire suum pectus mundoque potiri" (em latim, “superar os limites da inteligência e conquistar o universo”). Do outro lado está registrado "Congregati ex toto orbe mathematici ob scripta insignia tribuere" (em latim, “reunidos, matemáticos de todo o mundo a concedem por escritos notáveis”).

A medalha é entregue a cada quatro anos, a duas, três ou quatro pessoas de até 40 anos que tenham realizado feitos extraordinários no campo da matemática. A premiação foi criada em 1936 e até hoje foi recebida por apenas 60 pessoas, entre eles um brasileiro - o carioca Artur Avila Cordeiro de Melo, de 39 anos, que a recebeu durante a edição anterior do congresso, na Coréia do Sul em 2014, quando Melo tinha 35 anos.

Neste ano, além do iraniano, houve outros três laureados: o indiano Akshay Venkatesh, de 36 anos, o italiano Alessio Figalli, de 34 anos, e o alemão Peter Scholze, de 30 anos. Além da medalha, cada um recebeu 15 mil dólares canadenses (cerca de R$ 43 mil). 

Investigação

A Polícia Civil já sabe os nomes dos dois suspeitos de terem furtado a medalha, mas ainda não divulgou quem são. Eles não haviam sido localizados até a noite desta sexta-feira.

Os dois foram identificados pela Delegacia Especial de Apoio ao Turismo (Deat) do Rio, responsável pela investigação, a partir de filmagens feitas durante a cerimônia de premiação, na quarta-feira, no pavilhão 6 do Riocentro. Numa das imagens, um deles aparece colocando uma mochila na mesma cadeira onde o iraniano havia deixado sua pasta com a medalha, a carteira e o celular. Em seguida ele recolhe a mochila e a pasta, e consegue sair sem que ninguém perceba o furto.

A pasta foi abandonada no próprio Riocentro, mas dentro dela havia apenas o celular de Birkar - a medalha e sua carteira desapareceram.

+++ Veja como receber boletins do Estadão pelo Whatsapp

Mais conteúdo sobre:
Caucher Birkar matemática Riocentro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.