Ivete Sangalo vira samba e já dá show na Grande Rio

Ivete Sangalo vira samba e já dá show na Grande Rio

Artista surpreende ao ‘bater ponto’ na escola e deve surgir por todos os lados na Sapucaí

Roberta Pennafort, O Estado de S.Paulo

29 Janeiro 2017 | 06h00

RIO - Tradição do carnaval carioca das últimas três décadas, na chamada “era sambódromo”, as homenagens a artistas e personalidades vêm rendendo bons resultados às escolas de samba. Nos últimos dez anos, este tipo de desfile resultou em campeonatos quatro vezes – em 2016, a Mangueira venceu louvando Maria Bethânia. Neste carnaval, a única das 12 agremiações do Grupo Especial que optou por um desfile-tributo foi a Grande Rio, e também saudando uma cantora baiana, Ivete Sangalo. Seu carisma e popularidade são considerados trunfos na busca de um inédito título.

Caçula entre as grandes escolas, a Tricolor de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, que faz 30 anos no ano que vem (a agremiação mais antiga é a Portela, fundada em 1923) e é conhecida por desfilar com celebridades, se surpreendeu com o engajamento de Ivete. A despeito dos muitos compromissos profissionais e da distância Rio-Salvador, ela não só tem prestigiado todos os momentos importantes da preparação do desfile, como o lançamento do enredo, a escolha e a gravação do samba, mas também o canta em seus shows pelo País, visita o barracão e reverencia a escola por onde passa. Hoje, será o centro das atenções do ensaio técnico na Sapucaí.

“Na escolha do samba, ela chegou às 4h45, depois de um show, e cantou os quatro concorrentes com o mesmo empenho. Ivete não é uma homenageada comum. Nunca achei que uma artista do porte dela teria essa disponibilidade”, contou o intérprete do samba Hoje é dia de Ivete, Emerson Dias, convidado pela cantora para participar de seu trio elétrico em Salvador na segunda-feira de carnaval, juntamente com parte da bateria e de passistas. “Foi uma sacada inteligente da Grande Rio. Ivete é uma cantora que está em todos os lugares, e sempre enaltecendo a escola e o carnaval do Rio. É uma grande personagem.”

O enredo chega a Ivete como uma das cantoras de maior sucesso do País, estrela do carnaval da Bahia, vendedora de 7 milhões de CDs e DVDs e estrela de TV, começando em Juazeiro, sua cidade natal. As alegorias vão remeter ao sertão da caatinga, do Rio São Francisco e de lendas. Passarão pela religiosidade da cantora, as romarias de sua terra, os pescadores, as raízes familiares (mãe pernambucana e pai de origem espanhola), as festas de São João, a admiração pelos trios elétricos de Salvador, o início da trajetória artística, em bares, a entrada na Banda Eva, com a qual estourou, e o sucesso nacional.

“A artista, todo mundo conhece. Conversando comigo, ela disse que quer apresentar o lado sertanejo. Fechamos o desfile com o encontro dela com a Grande Rio”, disse o carnavalesco Fábio Ricardo, que a entrevistou por quatro horas para desenvolver o enredo. “Ivete é muito solícita, manda mensagens perguntando se estamos precisando de alguma coisa.” Estarão representados os programas da TV Globo The Voice, do qual ela participa, e Esquenta, e as relações com outros artistas, que aparecerão num palco. A apresentadora Xuxa, sua amiga, deve desfilar.

Por todos os lados. A grande surpresa é como Ivete passará pelo Sambódromo. Em geral, os homenageados fecham os desfiles, e Ivete deverá vir no último carro alegórico, que simbolizará um trio – mas não só nele. “Queremos que ela esteja na frente, no meio, no fim, no carro de som. É um planejamento difícil”, revelou o diretor de carnaval da Grande Rio, Dudu Azevedo. Após a apresentação, Ivete segue para Salvador, para sair em seu trio. O tema do carnaval 2017 foi escolhido em 2015. A Grande Rio havia cogitado chamar a cantora para ser rainha de bateria, mas concluiu que ela renderia um desfile inteiro.

O diretor de carnaval não vê sentido nas críticas à escola por ter optado por prestar homenagem a uma artista ainda jovem (tem 44 anos) e sem relação com o carnaval carioca. “As pessoas criticam sem olhar o conteúdo. Enredo você pode fazer até sobre palito de fósforo, guarda-chuva, depende de como vai desenvolver. Ivete é uma personalidade popular, com grande quantidade de seguidores. A gente está superconfiante. Ela não é a cereja do bolo, é o bolo inteiro”, justificou. 

Procurada pelo Estado, Ivete não deu entrevista.

Patrocínios. Além da visibilidade, a Grande Rio esperava que o enredo sobre Ivete Sangalo trouxesse também patrocínio para a escola, que, como as demais, sente os efeitos da crise econômica brasileira. Especulou-se que a rede de supermercados Guanabara, que tem a cantora como garota-propaganda, e a gravadora Universal, pela qual ela lança seus discos, desembolsariam R$ 10 milhões para ajudar na confecção do desfile. A Grande Rio, o Guanabara e a Universal, porém, negam o apoio.

O governo do Estado da Bahia informou que não fará aportes, assim como a prefeitura de Salvador. Na condição de homenageada, Ivete tampouco deu auxílio financeiro, segundo sua assessoria de imprensa. A fantasia que usará é presente da agremiação, seguindo a praxe dos tributos na Sapucaí. Oficialmente, a Grande Rio informa que vai gastar R$ 10 milhões neste ano, com recursos próprios, aproximadamente o mesmo que teria utilizado em carnavais anteriores.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.