Marcos Arcoverde/Estadão
Marcos Arcoverde/Estadão

'Já pegou fogo. Quer que eu faça o quê?', diz Bolsonaro sobre o Museu Nacional

Candidato à presidência disse que 'não tem como fazer milagre' e reclamou de indicações políticas para o setor

Leonencio Nossa, O Estado de S.Paulo

04 Setembro 2018 | 23h25

BRASÍLIA - O candidato do PSL ao Planalto, Jair Bolsonaro, interrompeu nesta terça-feira, 4, uma repórter que lhe perguntou sobre a “mobilização” diante da destruição do Museu Nacional num incêndio no último domingo, 2. “E daí? Já tá feito, já pegou fogo, quer que eu faça o quê? O meu nome é Messias, mas eu não tenho como fazer milagre”, respondeu.

Único candidato que não usou suas redes sociais para lamentar a perda de um dos mais importantes patrimônios históricos do mundo, Bolsonaro reclamou de “indicações políticas” no setor. A uma pergunta sobre sua proposta para outros patrimônios, ele respondeu: “Não aceitar indicações políticas para todas as funções”. “Você não tem dinheiro, paciência.” 

Um incêndio de grandes proporções destruiu o acervo do Museu Nacional, na zona norte do Rio, na noite do. Especializado em história natural e mais antigo centro de ciência do País, o Museu Nacional completou 200 anos em junho em meio a uma situação de abandono. Não houve feridos. 

Museu Nacional, fundado por d. João VI, chegou ao bicentenário com goteiras, infiltrações, salas vazias e problemas nas instalações elétricas. Várias salas estavam fechadas por total incapacidade de funcionar. O espaço que abrigava uma das maiores atrações, a montagem da primeira réplica de um dinossauro de grande porte no País, fechou por causa de uma infestação de cupim.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.