Acervo pessoal
Acervo pessoal

Jovem de 18 anos é morta a facadas na zona oeste do Rio de Janeiro

Ex-namorado, com quem ela terminou relacionamento havia dois meses, é o principal suspeito; atual foi atacado, mas passa bem

Carina Bacelar, O Estado de S. Paulo

05 Maio 2015 | 14h47

RIO - A jovem Rayanne Cristina Ferreira, de 18 anos, foi morta a facadas na madrugada de segunda-feira, 4, em Vargem Pequena, na zona oeste do Rio. Familiares e amigos da moça, moradora da comunidade Cesar Maia, o crime foi cometido por seu ex-namorado, identificado como Luciano Souza. Na ocasião, ela estava com o atual namorado, Ramoni Galindo de Souza, que recebeu sete facadas. O casal teria sido flagrado junto pela primeira vez por Maia. 

Uma amiga da estudante, Jenifer Ferreira de Jesus, de 20 anos, contou que Maia e Rayanne namoraram por cerca de dois anos e há dois meses haviam terminado o relacionamento. Segundo ela, a jovem já teria sido agredida duas vezes por ele.

Na quarta-feira da semana passada, 29, segundo Jenifer, a amiga aguardava o transporte para voltar para a escola quando Maia a puxou pela mochila e a empurrou para dentro de um ônibus. "Vamos, a gente vai morar junto em outro lugar, você vai voltar pra mim", teria dito ele. Na ocasião, Rayanne prometeu que voltaria para o ex-namorado porque ele estaria alterado e levava seringas na mochila. A jovem teria temido que ele tentasse se matar.

No domingo, 3, horas antes de ser morta, Rayanne encontrou o ex-namorado pela manhã, quando foi comprar comida de moto com Jenifer. Ele perguntou se ela estava namorando, e ela pediu para a amiga acelerar a moto. 

O caso está sendo investigado pela Delegacia de Homicídios, que informa estar ouvindo testemunhas e familiares da vítima. De acordo com a delegada Patrícia Aguiar, responsável pelo caso, a polícia trabalha com a hipótese principal de feminicídio - desde março, a morte violenta de mulher por razões de gênero é tipificada como crime hediondo. 

Jenifer contou que conhecia a amiga desde pequena, mas que se aproximaram recentemente. Juntas, planejavam nesta segunda-feira, 4, tirar a carteira de trabalho de Rayanne. "Ela queria trabalhar e prestar vestibular para o curso de Direito", disse a amiga.

Souza e Rayanne estavam juntos há menos de uma semana. Após ser esfaqueado, ele foi atendido no Hospital Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca, e liberado em seguida. 

Mais conteúdo sobre:
Rio de Janeiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.