FABIO MOTTA/ESTADÃO
FABIO MOTTA/ESTADÃO

Justiça decreta prisão de filho de presidente da Câmara do Rio por agressão contra mulher

Fábio depôs nesta quarta-feira na Delegacia de Atendimento à Mulher e responderá por lesão corporal decorrente de violência doméstica

Agência Brasil, O Estado de S.Paulo

04 de janeiro de 2019 | 01h23

A Justiça determinou nesta quinta-feira, 3, a prisão de Fábio Tuffy Felippe, filho do presidente da Câmara Municipal do Rio, Jorge Felippe (MDB), pela agressão de sua mulher, Christini Cardoso de França. Segundo informações do inquérito, ela levou vários socos no rosto, que ficou bastante inchado, no último dia 21 de dezembro.

A decisão de prender Fábio foi da juíza Yedda Christina Ching Assunção, do 2º Juizado de Violência Doméstica de Bangu, zona oeste do Rio. O motivo apontado foi lesão corporal decorrente de violência doméstica e também se enquadram nas medidas protetivas de urgência, constantes na Lei Maria da Penha.

Fábio depôs nesta quarta-feira, 2, na Delegacia de Atendimento à Mulher, em Campo Grande, na zona oeste do Rio de Janeiro. Na ação movida pelo Ministério Público (MP), Fábio responde por lesão corporal decorrente de violência doméstica. O MP pede a prisão temporária do investigado e medidas protetivas à vítima.

A agressão sofrida por Christini aconteceu em 21 de dezembro e um inquérito policial foi instaurado dia 26, chegando à Justiça três dias depois, em 29 de dezembro.

No dia 30, a juíza Angélica dos Santos Costa determinou que a Polícia Civil ouça o acusado, decisão que foi confirmada no dia seguinte pelo desembargador Paulo Baldez.

Jorge Felippe, pai de Fábio, se manifestou em vídeo por uma rede social contra o ato que teria sido cometido pelo filho. “Não foi isso que ensinamos a ele. Quem pratica violência tem que responder pelo ato”, disse o vereador.

Procurada para se pronunciar, a advogada de Fábio, Bruna Bueno, disse que ainda não sabia dos detalhes da decisão judicial.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.