Justiça decreta prisão de empresário acusado de agredir a ex-noiva

Rafael Hermida ficou conhecido após filmagens que mostraram agressões a cadelas; ex-noiva teria sido atacada durante festa

Sergio Torres, O Estado de S. Paulo

06 de julho de 2015 | 19h41

RIO - Acusado pela ex-noiva Ninna Mandin de agressão durante festa no Jockey Club (Gávea, zona sul do Rio), o empresário Rafael Hermida, de 34 anos, teve a prisão preventiva decretada pela Justiça.

Hermida ficou conhecido em fevereiro deste ano, depois que filmagens que o mostraram agredindo duas cadelas, da raça buldogue pertencentes à então noiva, foram divulgadas.

Distribuídas na internet, as imagens causaram revolta nas redes sociais. A mulher rompeu o noivado. Ele está sendo processado por maus tratos praticados contra animais, mas faltou às audiências convocadas até agora pela Justiça.

A defesa do empresário anunciou que recorreu nesta segunda-feira, 6, contra a decisão da juíza Maria Daniella de Castro, do 1º Juizado da Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher do Tribunal de Justiça do Rio. Até as 19h30, o recurso não havia sido julgado. Hermida não foi localizado pelos oficiais de Justiça nos endereços apresentados à Justiça. Caso não seja achado, será considerado foragido.

A ex-noiva prestou queixa contra Hermida no último dia 12. Ninna disse na 15ª Delegacia de Polícia (DP), na Gávea), que ele a agrediu com socos, tapas e pontapés durante festa no Jockey. Ela teria desmaiado após o espancamento. Por causa dos cortes sofridos no rosto, Ninna precisou ser hospitalizada.

O acusado foi indiciado por lesão corporal, embora, na ocasião, sua defesa tenha negado as agressões. De acordo com o advogado Vicente Donicci, enciumada porque o ex-noivo estava acompanhado de uma mulher na festa, Ninna partiu para cima do casal aos gritos e desferindo golpes com as mãos.

“Não teve história nenhuma de mulher, eu nunca teria ciúmes de um monstro que estragou a minha vida”, disse Ninna, ao contestar a versão apresentada pelo ex-noivo.

Mais conteúdo sobre:
Rio de Janeiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.