LUIZ SOUZA/FOTOARENA
LUIZ SOUZA/FOTOARENA

Justiça determina prisão preventiva de suspeito pela morte de criança no Rio

Menina de 2 anos brincava na área externa de uma lanchonete quando foi atingida por uma bala perdida

Roberta Pennafort, O Estado de S. Paulo

23 Janeiro 2017 | 16h58

RIO - A Justiça do Rio determinou a prisão preventiva de Thiago Rodrigues dos Santos, suspeito de ter disparado o tiro que matou a menina Sofia Lara Braga, de 2 anos, no sábado à noite. A criança brincava na área infantil externa de uma lanchonete da rede Habib's quando foi atingida por uma bala perdida, durante perseguição policial decorrente de um roubo de carro.

O juiz Livingstone dos Santos Silva Filho, em audiência de custódia no Tribunal de Justiça, decretou a prisão preventiva pelos crimes de homicídio e roubo. O suspeito foi preso em flagrante na própria noite, depois de trocar tiros com a polícia - a menina foi atingida por um desses disparos. O carro onde Santos estava capotou, o que facilitou sua captura. 

"As declarações prestadas pelos policiais dão conta de que o indiciado foi preso após perseguição do suposto veículo roubado e troca de tiros, assim como foi apreendida uma pistola calibre 380, raspada, de modo que seria contrassenso, admitir-se eventual soltura do indiciado, o que inequivocamente, implicaria em lesão a diversos direitos coletivos", decidiu o juiz. 

Nesta segunda-feira, 23, a ONG Rio de Paz fez uma manifestação na Praia de Copacabana de repúdio às mortes de crianças vítimas de balas perdidas, que, segundo a organização, somam 31 de 2007 para cá. A ONG levou uma bandeira do Brasil com buracos, como se fossem marcas de tiros, e os nomes das crianças foram lembrados.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.