Justiça ordena reintegração de prédio do Minha Casa invadido

Criminosos armados com fuzis invadiram condomínio no bairro de Guadalupe e foram seguidos por moradores de favelas da região

Thaise Constancio, O Estado de S. Paulo

13 de novembro de 2014 | 15h31

RIO - O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro decretou a imediata reintegração de posse dos imóveis do programa Minha Casa Minha Vida, no bairro de Guadalupe, no subúrbio do Rio. O empreendimento da BR4 Empreendimentos e Participações foi invadido na madrugada de domingo, 9, por bandidos armados com fuzis que expulsaram o segurança do local e foram seguidos por moradores de favelas vizinhas.

Na decisão, o juiz Paulo Jose Cabana de Queiroz Andrade, da 1ª Vara Cível da Pavuna, considerou que as obras do Residencial Guadalupe já haviam terminado e só aguardavam a obtenção do Habite-se. Os imóveis seriam entregues em 60 dias para famílias com renda de até três salários mínimos.

O magistrado ressaltou que a reintegração seja feita "com as cautelas de praxe, inclusive auxílio de força policial".

O juiz também pede a identificação dos ocupantes e que a empresa BR4 seja a "depositária dos bens que is invasores se recusarem a retirar do local". Caso sejam encontradas armas e drogas, o material deve ser encaminhado para a 31ª Delegacia de Polícia (Ricardo de Albuquerque), onde o caso foi registrado. Ele também ordena a expedição de ofícios para o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), Corpo de Bombeiros, Conselho Tutelar e Secretaria municipal de Assistência Social para auxiliarem no processo de reintegração.

De acordo com as investigações, os bandidos seriam integrantes da facção Comando Vermelho (CV). Nesta quarta-feira, 12, os invasores abriram uma passagem em um dos muros que cercam o condomínio.
Nessa quarta, o prefeito do Rio, Eduardo Paes, chamou os cerca de 200 invasores de "malandro e vagabundo".

"O Minha Casa Minha Vida é para pessoas humildes, que se cadastram, esperam pacientemente a sua vez para ter uma casa própria", disse o prefeito.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.