Reprodução|Google
Reprodução|Google

Lancha atropela quatro banhistas e mata dois em Angra dos Reis

Segundo a polícia, o condutor, identificado como João Tiago do Nascimento Guimarães, foi preso em flagrante e será autuado por duplo homicídio culposo e dupla lesão corporal

Renata Batista e Roberta Jansen, O Estado de S.Paulo

30 Março 2018 | 14h12
Atualizado 30 Março 2018 | 19h30

RIO - Duas pessoas morreram e outras duas ficaram feridas depois de serem atropeladas por uma lancha, no início da tarde desta sexta-feira, 30, na Ilha Grande, em Angra dos Reis. Segundo informou o Corpo de Bombeiros, o acidente ocorreu na região conhecida como Lagoa Azul – um dos principais pontos turísticos da ilha, que estava repleta de turistas por conta do feriado da Páscoa.

A Polícia Civil informou que Alexandre da Silva Leite, de 43 anos, morreu no local. Walquíria de Almeida Barros, de 29 anos, chegou a ser levada para o Hospital Geral de Japuíba, mas apresentava ferimentos profundos das pernas provocados pela hélice da lancha e não resistiu à hemorragia. Os corpos das vítimas foram levados ao Instituto Médico Legal (IML).

De acordo com o delegado Bruno Gilaberte, da 166ª Delegacia de Polícia (Angra dos Reis), onde o caso foi registrado, outras duas banhistas estão internadas no Hospital Geral de Japuíba. O estado de saúde das duas não foi divulgado, mas elas teriam tido fraturas expostas nas pernas e dedos dos pés decepados. Elas foram identificadas como Natacha de Oliveira Soares, de 27 anos, e Camila Martinez Precoma, de 30 anos.

As quatro vítimas seriam de São José dos Campos, em São Paulo, segundo informações da Globonews no local do acidente.

A polícia informou que o condutor da lancha foi preso em flagrante por agentes da Capitania dos Portos e levado para a delegacia. Ele foi identificado como João Tiago do Nascimento Guimarães e autuado por duplo homicídio culposo (quando não há intenção de matar) e dupla lesão corporal.

Em depoimento, Guimarães afirmou que ocorreu um defeito na lancha alugada e ela acelerou contra a sua vontade, atropelando as pessoas. A lancha foi apreendida no local pela Marinha e levada para ser periciada. O condutor, que estava devidamente habilitado para dirigir a lancha, também teria sido submetido a um teste de bafômetro que deu negativo.

A Prefeitura de Angra informou que os quatro turistas tinha saído em um passeio de saveiro que partiu da Vila do Abraão, na Ilha Grande. O saveiro parou na Lagoa Azul para que os turistas pudessem nadar quando o acidente aconteceu.

De acordo com outros turistas que estavam no saveiro, a lancha estaria em alta velocidade e desgovernada. Alexandre nadava com os filhos e não teria percebido a sua aproximação. As crianças não ficaram feridas.

A Prefeitura informou ainda que pretende levar adiante um projeto há muito reivindicado pelos guias turísticos de reservar áreas do mar apenas para banhistas, protegendo-os das lanchas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.