Machado e Guimarães são homenageados pela Mocidade

Literatura foi tema da escola do Rio, que trouxe todos os oito carros alegóricos com movimento

Andréia Sadi, do estadao.com.br e Clarissa Thomé, de O Estado de S.Paulo,

23 Fevereiro 2009 | 03h06

A Mocidade Independente levou para a avenida da Marquês de Sapucaí os centenários da morte de dois grandes escritores brasileiro: Machado de Assis e Guimaraes Rosa. Com o enredo "Clube Literário-Machado de Assis e Guimarães Rosa...Estrelas em Poesia, a agremiação contou com quatro mil componentes divididos em 36 alas e oito carros alegóricos- todos em movimento. A rainha da bateria Thatiana Pagung animou a arquibancada da Sapucaí, que está lotada.

 

 

    

Veja Também:

mais imagens Fotos da Mocidade Independente

blog Você é o jurado: avalie o desempenho das escolas

blog  Blog: dicas para quem quer curtir e para quem quer fugir da folia

especialEspecial: mapa das escolas e os sambas do Rio e de SP   

especialSaiba como chegar ao sambódromo  

 

 

O carro abre-alas da Mocidade Independente trouxe Marcela Vianna dentro da tradicional estrela-guia da escola, que voltou este ano com efeitos especiais.

 

Em seguida, o mestre-sala e a porta-bandeira, Raphael Rodrigues e Marcella Alves, apresentaram-se. A fantasia de Marcella pesa 40 kg.

 

De amarelo , dourado e branco, a ala das baianas jogou pétalas na avenida. As alas em seguida homenagearam Carolina, o grande amor de Machado de Assis e também citaram as grandes obras do autor. Capitu, a clássica personagem de Dom Casmurro,  foi representada pela atriz Roberta Rodrigues.

 

.

 

Crédito: Marcos D'Paula/AE

 

Em um carro alegórico, com 30 bailarinas, a  Mocidade mostrou "A Vida em Verso e Prosa de Machado de Assis". Em seguida, o carro o "Cronista e o Literato" trouxe uma escultura de nove metros de altura em referência ao "Bruxo do Cosme Velho".

 

Crédito: Fabio Motta/AE

 

A vez de Guimarães Rosa chegou em um livro aberto com o seu nome em destaque.

 

O ator Stepan Nercessian representou Guimarães Rosa mais velho; Marcos Palmeira, quando jovem.

 

Já no seguinte carro, um crocodilo gigante, em movimento, foi a sensação de "Guimarães Rosa- Superstição e Misticismo". Depois, um escorpião gigante no corpo de um jagunço.

 

A Mocidade Independente foi a quarta escola a se apresentar na primeira noite de desfiles do Rio. Em seguida, entrou a Beija-Flor.

 

Problemas

 

O desfile teve alguns problemas. O carnavelesco, Claúdio Cavalcanti, conhecido como Cebola, foi atropelado pelo carro abre-alas. Com ferimentos nos braços e pernas, o artista foi levado ao Hospital Miguel Couto, zona sul do Rio. Para o presidente da escola, Paulo Vianna, o acidente com o artista foi culpa dos bombeiros, que confundiram os efeitos especiais do carro com um princípio de incêndio.

 

 

"Foi uma palhaçada total. Eles começaram a jogar extintor nos componentes, eu precisei dar uma bengalada no comandante dos bombeiros", afirmou revoltado Vianna, ao frisar que o incidente não deve prejudicar a Padre Miguel por ter sido antes do início do desfile.

 

O abre-alas que atropelou Cebola, era a grande atração preparada pelo artista para estreiar no Carnaval do Rio de Janeiro. O carro é o maior já levado pela escola ao Sambódromo, com 45 metros.

 

 

Antes do acidente, o carnavalesco atento a todos os detalhes admitiu que a atual crise econômica afetou os preparativos para o carnaval deste ano. Segundo ele, foi preciso trocar o luxo pela criatividade em várias alegorias da escola.

 

Com um enredo em homenagem ao centenário de morte de Machado de Assis e o nascimento de Guimarães Rosa, a Mocidade Independente de Padre Miguel fez um desfile rico e criativo, mas, que não conseguiu emocionar o público.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.