Google Street View/Reprodução
Google Street View/Reprodução

Madrasta acusada de envenenar enteados com chumbinho é denunciada pelo MP do Rio

Cíntia Mariano está presa desde o dia 20 de maio e deverá responder por um homicídio e uma tentativa de homicídio. Mulher agiu com vontade de matar, diz a denúncia do Ministério Público

Marcio Dolzan, O Estado de S.Paulo

11 de julho de 2022 | 22h22

O Ministério Público do Rio (MPRJ) denunciou Cíntia Mariano Dias Cabral pelo homicídio da estudante Fernanda Carvalho Cabral, de 22 anos, e por tentativa de homicídio do irmão dela, o também estudante Bruno Carvalho Cabral, de 16. Cíntia era madrasta dos irmãos e é acusada de envenenar a comida deles.

Segundo a denúncia da 3.ª Promotoria de Investigação Penal da Área Territorial Bangu e Campo Grande, a madrasta "agiu livre e conscientemente, com vontade de matar" os enteados, envenenando sua comida.

“Após os fatos, ambas (os dois jovens) apresentaram, como pontuado no relatório da autoridade policial, sintomas típicos de intoxicação exógena por carbamato (chumbinho), quando verificados de forma simultânea”. 

A denúncia também cita o depoimento de Bruno. "(Ele) relatou que, quando almoçava na casa da denunciada, sempre servia a sua própria comida. No dia dos fatos, no entanto, seu prato foi entregue pela demandada e já continha feijão, e ele colocou os outros alimentos. O ofendido narrou que, ao provar o feijão, sentiu, imediatamente, um gosto amargo e viu umas 'bolinhas escuras', meio azuladas, e indagou que bolinhas eram aquelas, momento em que a denunciada retirou o prato da mesa e foi à cozinha."

Cíntia Mariano Dias Cabral está presa desde 20 de maio. Até a publicação desta reportagem, o Estadão não havia conseguido contato com a defesa da denunciada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.