Mais um chinês é resgatado em situação de escravidão no Rio

Homem, de 24 anos, estava sem registro profissional e trabalhava todos dias da semana das 8h às 20h30 em uma pastelaria

Carina Bacelar, O Estado de S. Paulo

09 de julho de 2015 | 10h25

RIO - Mais um chinês, funcionário de uma pastelaria em Vista Alegre, na zona norte do Rio, foi resgatado por fiscais do Ministério do Trabalho, em ação conjunta com o Ministério Público do Trabalho e com o Procon Estadual realizada nesta quinta-feira, 9. O estrangeiro, de 24 anos, vivia em condições análogas à escravidão. Ele estava sem registro profissional e trabalhava todos dias da semana das 8h às 20h30, ou até o fechamento do estabelecimento. 

De acordo com a procuradora do trabalho Juliane Mombelli, apesar de a vítima ter afirmado não sofrer maus tratos, a jornada exaustiva, sem descanso semanal, configura situação similar a de um escravo. 

O chinês disse aos fiscais e aos procuradores que veio ao país ajudado por um amigo e que há cerca de um ano trabalha na mesma pastelaria, onde é o único funcionário além do casal de patrões - ambos chineses. 

Eles concordaram em pagar indenização que engloba direitos trabalhistas ao jovem e regularizar sua situação de empregado, contratado com registro e com acesso aos direitos trabalhistas que não vinham sendo cumpridos. 

Ao todo, seis chineses já foram resgatados durante operações conjuntas do Ministério Público do Trabalho e do Ministério do Trabalho no Estado. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.