Mais um policial militar é assassinado neste fim de semana no Rio

Neste fim de semana, na praia de Copacabana, manifestantes estenderam faixas e fincaram cruzes de madeira na areia, lembrando agentes que foram vítimas da violência

Daniela Amorim, O Estado de S. Paulo

15 Janeiro 2017 | 11h54

 Mais um policial militar morreu no Rio de Janeiro neste início de ano. Cristiano Macedo, de 40 anos, foi baleado na manhã deste domingo na Fazenda Futebol Clube, em São João de Meriti, na Baixada Fluminense.

De acordo informações do 21º Batalhão da Polícia Militar, de Vilar dos Teles, testemunhas contaram que o sargento tentou separar uma briga e acabou atingido. Outras duas pessoas também foram baleadas, um homem e uma mulher.

Macedo chegou a ser socorrido e levado para o Posto de Assistência Médica (PAM) de Meriti, mas não resistiu aos ferimentos. A polícia não forneceu a identificação dos outros dois baleados na briga. O homem morreu no local do incidente, a mulher permanece internada no PAM de Meriti.

O sargento, que integrava a corporação havia 18 anos, era lotado no 15º Batalhão da Polícia Militar, em Caxias, também na Baixada Fluminense. Macedo foi a segunda perda na corporação apenas neste fim de semana.

Neste sábado, o policial militar Fábio Magalhães Teixeira, de 44 anos, morreu após ser baleado por criminosos na noite de sexta, quando fazia patrulhamento de trânsito em uma praça da Vila Kennedy, comunidade da zona oeste da cidade. Lotado no 14º BPM, em Bangu, ele estava na PM havia 20 anos. O enterro aconteceria às 14h deste domingo, no cemitério Jardim da Saudade, em Sulacap, na zona oeste do Rio.

Neste fim de semana, um protesto na praia de Copacabana, na zona sul da capital, alertava para o aumento no número de assassinatos de policiais em todo o Estado. Os manifestantes estenderam faixas e fincaram cruzes de madeira na areia, lembrando agentes que foram vítimas da violência.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.