Wilton Júnior/Estadão
Wilton Júnior/Estadão

Manifestantes acusados de atos violentos no Rio ganham habeas corpus

Entre eles, está Elisa Quadros, a Sininho, que era considerada foragida; trio vai responder processo em liberdade

Fábio Grellet, O Estado de S. Paulo

22 de junho de 2015 | 23h22

RIO - Três ativistas acusados de participação em atos violentos durante protestos no Rio, em 2013 e 2014, obtiveram habeas corpus concedidos nesta segunda-feira, 22, pelo ministro Sebastião Reis, da 6ª Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ). 

Igor Mendes da Silva, que está preso, Karlayne Moraes da Silva Pinheiro, a Moa, e Elisa Quadros Pinto Sanzi, a Sininho, que tinham prisão preventiva decretada e eram consideradas foragidas, foram beneficiados com a decisão. Agora, os três vão responder ao processo em liberdade.

O trio faz parte de um grupo de 23 ativistas que é acusado de associação criminosa e atos violentos durante as manifestações de 2013 e 2014.

A ordem de prisão do trio havia sido dada pelo juiz Flávio Itabaiana, da 7ª Vara Criminal. Com base em fotos da Polícia Civil que mostravam os três em uma suposta manifestação, em 15 de outubro de 2014, na Cinelândia, o juiz entendeu que os ativistas haviam descumprido uma das medidas cautelares impostas pelo desembargadores da 7ª Câmara Criminal, que os mantivera em liberdade desde que eles não participassem de protestos.

Tudo o que sabemos sobre:
protestosRio de Janeiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.