Manifestantes que pedem asilo vão passar a noite em consulado

Advogados compraram alimentos para os foragidos; carros da PM estão estacionados em frente ao prédio

Clarissa Thomé, O Estado de S. Paulo

21 de julho de 2014 | 19h48

RIO - Os manifestantes Eloisa Samy, David Paixão e uma adolescente, que pediram asilo político ao Uruguai, receberam alimentos no início da noite desta segunda-feira, 21. Advogados compraram salgados e refrigerantes.

Eles vão passar a noite em uma das salas do consulado, no sexto andar de um prédio na Praia de Botafogo, e terão de se revezar em um pequeno sofá. Os manifestantes estão acompanhados da deputada estadual Janira Rocha, do PSOL.

Eles só pretendem deixar o local se receberem o salvo-conduto do governo uruguaio ou se a Justiça conceder o habeas corpus. Três carros da Polícia Militar estão estacionados em frente ao consulado. Os ativistas serão presos se deixarem o prédio. 

Durante toda a tarde, cerca de 50 militantes fizeram uma espécie de vigília, em solidariedade aos ativistas que pedem asilo. Eles confeccionaram cartazes e balançaram bandeiras do Uruguai e da Palestina. O grupo deixou o local depois que a portaria do consulado foi fechada.

Os manifestantes estão entre os 23 denunciados por formação de quadrilha armada no processo sobre os protestos violentos desde junho de 2013.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.