Douglas Viana/Futura Press
Douglas Viana/Futura Press

Maquinista diz que avançou sinal porque recebeu permissão

Acidente no Rio deixou 229 feridos no Rio; controlador de tráfego nega versão e diz que condutor não cumpriu orientação dada

Fábio Grellet, O Estado de S. Paulo

08 Janeiro 2015 | 22h44

RIO - O maquinista Luiz Felipe Moreira Breves, que conduzia o trem da Supervia (concessionária dos trens que interligam a região metropolitana do Rio) envolvido no acidente que deixou 229 pessoas feridas na última segunda-feira, 5, afirmou nesta quinta-feira, 8, em depoimento à Polícia Civil, que não respeitou sinal vermelho porque foi autorizado pelo controlador de tráfego que trabalhava na ocasião, Fábio Oliveira Riboura.

Em depoimento prestado na quarta-feira, 7, à Polícia Civil, Fábio afirmou que o trem conduzido por Luiz Felipe ultrapassou um sinal vermelho, desrespeitando orientação dada por ele. 

Nesta quinta, após a oitiva do maquinista, houve uma acareação entre ele e o controlador, mas ambos mantiveram suas versões. Agora a Polícia Civil vai pedir à Supervia a gravação da conversa mantida, nos minutos anteriores ao acidente, entre o controlador e o maquinista, para esclarecer de quem é a responsabilidade pela colisão.

Mais conteúdo sobre:
Rio de Janeiro Supervia acidente

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.