Marido confessa assassinato de delegada na zona oeste do Rio

Inicialmente, Alessandro Oliveira Furtado havia dito que encontrou a mulher, Tatiene Damaris, morta na cozinha de casa, em Realengo

Thaise Constancio, O Estado de S. Paulo

24 Outubro 2014 | 08h53

RIO - Viúvo da delegada-assistente Tatiene Damaris, o estudante de Direito Alessandro Oliveira Furtado, de 39 anos, confessou ter matado a mulher nesta quinta-feira, 23. Ele foi preso em flagrante logo depois de prestar depoimento na Divisão de Homicídios da Capital (DH). 

Inicialmente, a polícia foi chamada por Alessandro que disse ter encontrado Tatiene morta na cozinha de casa, em Realengo, na zona oeste do Rio de Janeiro. O corpo estava cheio de hematomas e sem marcas de tiros ou facadas. Não havia sinais de arrombamento na casa. Laudo preliminar aponta que a mulher morreu por asfixia.

Ainda nesta quinta-feira, Alessandro voltou para a casa com os policiais para fazer a reconstituição do crime. Os delegados buscam testemunhas e câmeras de segurança que possam ajudar nas investigações.

Tatiene estava lotada na 36ª Delegacia de Polícia (Santa Cruz) desde agosto. Antes, já tinha passado pela 34ª DP (Bangu) e pela 35ª DP (Campo Grande). As três delegacias ficam em áreas de atuação de milícias.

Mais conteúdo sobre:
Rio de Janeiro Violência

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.