Médico reconhece falso policial e o denuncia

Pneumologista dá à polícia dados sobre um dos bombeiros que se disfarçaram para assaltar empresário

Clarissa Thomé, do Estadão ,

16 de agosto de 2007 | 20h23

O médico pneumologista Carlos Alberto Chaves, de 57 anos, surpreendeu-se ao olhar os jornais na manhã desta quinta-feira, 16. Ex-diretor do Hospital Getúlio Vargas e atual coordenador das emergências do Estado, ele reconheceu imediatamente o bombeiro Antônio Lázaro da Silva Franco como o homem que se disfarçou de agente federal para assaltar o empresário M.A.S., numa ação frustrada pela reportagem do Estadão. Lázaro trabalhava no HGV, controlando as visitas da emergência.   Bombeiros acusados de assaltar empresário se entregam  Veja galeria de imagens   "Só não caí duro porque sou tinhoso", resumiu Chaves. "Liguei imediatamente para o secretário de Saúde, Sérgio Côrtes, que se comunicou com a Secretaria de Segurança, e em seguida telefonei para o delegado Fernando Morais, da Anti-Seqüestro, de quem sou amigo. Dei todas as indicações do endereço dele."   Com 40 homens da DAS, o delegado Fernando Morais seguiu para a casa de Lázaro, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Lá, o delegado encontrou a mãe e a mulher do bombeiro, que tiveram uma crise de choro e se recusavam a acreditar no envolvimento de Lázaro e Tito Lívio de Paula Franco no crime. Acabaram revelando que os primos estavam em contato com o advogado.   Depois de negociar com o delegado, Lázaro acabou se entregando numa rua próxima de casa. E convenceu o primo a desistir da fuga. Tito se apresentou à polícia em frente a um supermercado, em Caxias.   Chaves disse que ainda não se recuperou do choque. De estilo duro e brigão, ficou conhecido como o diretor que moralizou a emergência do HGV - chegou a denunciar à polícia, por omissão de socorro, os médicos que se atrasavam ou faltavam nos plantões. "Mas esse episódio me deu um susto brutal. Eu pensei: `estou dormindo com o inimigo'. Depois as pessoas questionam por que tenho seguranças."

Tudo o que sabemos sobre:
Polícia FederalBombeiros

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.