FÁBIO MOTTA/ESTADÃO
FÁBIO MOTTA/ESTADÃO

Menor apreendido diz à polícia que roubava cinco bicicletas por mês

Adolescente procurava modelos esportivos, avaliados entre R$ 2 mil e R$ 10 mil; centro de receptação funcionaria em comunidades

Carina Bacelar, O Estado de S. Paulo

22 Maio 2015 | 12h43

RIO - O adolescente de 16 anos apreendido na quinta-feira, 21, suspeito de ter participado da morte do médico Jaime Gold, de 56 anos, contou informalmente a policiais que costumava roubar cinco bicicletas por mês. Os modelos geralmente eram esportivos, com funcionalidades especiais. O jovem costumava praticar os roubos em Ipanema, Lebron e Lagoa, regiões nobres da zona sul do Rio de Janeiro.

Com 15 anotações criminais, sendo cinco por roubo com emprego de armas brancas, como facas e tesouras, o adolescente admitiu que utilizava esses objetos para assaltar ciclistas. Ele geralmente procurava pelos modelos Giant, modelo esportivo avaliado entre R$ 7 mil e R$ 10 mil em sites especializados, e a Burnett, uma bicicleta italiana com preço variando entre R$ 2 mil e R$ 2,5 mil.

Nas comunidades de Manguinhos, onde o jovem vivia, e Jacarezinho, ambas na zona norte, funciona um centro de receptação de bicicletas roubadas, segundo a polícia. No esquema, agiriam pessoas de dentro e de fora dessas comunidades. As bicicletas e suas peças eram roubadas e revendidas.

Encaminhado à Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente na noite desta quinta-feira, após prestar depoimento na Delegacia de Homicídios, o jovem será ouvido pela primeira vez em uma Vara da Infância e da Juventude na tarde desta sexta-feira, 22. Pela manhã, ele estava em um abrigo para menores. 

O adolescente foi preso em casa, na comunidade de Manguinhos, na zona norte do Rio, por volta de 5h, por agentes da Delegacia de Homicídios. Ele morava com a mãe, uma catadora de lixo, em um condomínio do programa Minha Casa Minha Vida. O segundo suspeito do crime ainda não foi localizado.

A Polícia Civil afirmou que o menor de idade foi reconhecido por uma testemunha ocular do esfaqueamento. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.