Clarisse Castro/Governo-RJ
Clarisse Castro/Governo-RJ

Metrô do Rio tem duas confusões em menos de 24 horas

Tumulto entre segurança e ambulantes e brigas entre passageiros assustaram usuários do serviço na terça e na quarta-feira. Metrô vai fornecer imagens à polícia

Fábio Grellet, O Estado de S.Paulo

14 Novembro 2018 | 17h52

RIO - Um tumulto entre vendedores ambulantes e seguranças do metrô do Rio de Janeiro causou pânico entre passageiros que estavam na estação Uruguaiana, no centro da capital fluminense, por volta das 11h desta quarta-feira, 14. Pessoas imaginaram que se tratasse de um arrastão e houve até quem relatasse tiroteio, o que não aconteceu.

Segundo a Polícia Militar, os ambulantes queriam trabalhar dentro da estação, o que é proibido, e foram abordados pelos vigias do metrô, mas não quiseram se retirar. Policiais militares que atuam no projeto Centro Presente, especializado em policiar a região central, foram chamados, mas quando chegaram à estação os ambulantes já haviam se retirado.

Durante a tentativa de retirar os ambulantes, no entanto, houve conflito entre seguranças e camelôs, que assustaram passageiros e funcionários das lojas instaladas na estação Uruguaiana. “Todo mundo achou que fosse arrastão, houve correria, passamos um sufoco”, narrou uma passageira, pelo Facebook.

O Metrô informou que vai oferecer à polícia imagens de câmeras de segurança, para que se tente identificar os ambulantes causadores da confusão.

Na terça-feira, 13, outra confusão ocorreu no metrô, desta vez na estação Cinelândia, a cerca de um quilômetro da Uruguaiana. 

Segundo relato de supostas testemunhas, por volta de meio-dia, dentro de um vagão de uma composição que seguia rumo ao Jardim Oceânico, na Barra da Tijuca (zona oeste), um homem pediu a outro que cedesse seu assento a um idoso. O homem que estava sentado não aceitou a sugestão e iniciou uma discussão.

O rapaz que o havia abordado estava armado (seria um policial militar) e chegou a tirar a arma durante a discussão, causando pânico entre os demais passageiros. Mas as coisas se resolveram sem que nenhum tiro fosse disparado nem houvesse qualquer agressão física, e a composição seguiu normalmente rumo ao Jardim Oceânico.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.