Fábio Motta/Estadão
Fábio Motta/Estadão

Ministro da Justiça oferece apoio da Força Nacional em ação na Cidade de Deus

Desde ontem há tiroteios na área, a linha amarela foi fechada e um helicóptero da Polícia Militar caiu na região

O Estado de S.Paulo

20 Novembro 2016 | 15h54
Atualizado 20 Novembro 2016 | 16h46

BRASÍLIA e RIO DE JANEIRO - O Ministério da Justiça ofereceu ao governo do Estado do Rio de Janeiro a ajuda de agentes da Força Nacional para prestar apoio à segurança pública na comunidade de Cidade de Deus, na zona oeste da capital. Um tiroteio na favela culminou com a queda de um helicóptero da Polícia Militar nesta sábado (19).

Quatro policiais militares morreram no acidente. Em resposta, a cúpula da Segurança Pública no Rio decidiu ocupar a comunidade por tempo indeterminado. Pelo menos sete corpos foram localizados no interior da favela na manhã deste domingo. As mortes teriam ocorrido em confronto durante a operação policial iniciada na noite deste sábado.

O ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, informou que está acompanhando os fatos ocorridos no Rio e que vem mantendo contato direto e constante com o secretário de Segurança Pública do Estado, Roberto Sá.

“O ministro também colocou à disposição do governo local o efetivo da Força Nacional que está na cidade, para prestar apoio na segurança pública da Cidade de Deus”, divulgou o ministério, em nota.

Segundo a assessoria de Roberto Sá, o secretário agradeceu a oferta de ajuda do governo federal, mas informou que, por enquanto, a mobilização de agentes da Força Nacional para o policiamento da Cidade de Deus não é necessária.

Sá participou na tarde deste domingo do velório coletivo, no Batalhão de Choque, no centro do Rio, de três dos quatro policiais militares mortos na queda do helicóptero./CLARISSA THOMÉ, DANIELA AMORIM, FÁBIO GRELLET e LORENNA RODRIGUES

Mais conteúdo sobre:
Força Nacional

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.