Morre criança atingida no fim de semana por bala perdida

Asafe Ibrahim teve morte cerebral declarada nesta quarta; ele estava internado em hospital de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense

Fábio Grellet, O Estado de S.Paulo

21 Janeiro 2015 | 19h50

RIO - Atingido na cabeça por uma bala perdida no último domingo, no Rio de Janeiro, o estudante Asafe Willian Costa de Ibrahim, de 9 anos, teve morte cerebral declarada no início da tarde desta quarta-feira, 21. Ele estava internado no Hospital Estadual Adão Pereira Nunes, em Saracuruna, distrito de Duque de Caxias (Baixada Fluminense).

Acompanhado pela mãe, a dona de casa Diná Paula Ibrahim, o menino nadava na piscina de uma unidade do Sesi em Honório Gurgel, na zona norte, e deixou a piscina para beber água. Nesse momento ouviu-se um tiroteio na vizinhança, provavelmente causado por traficantes de quadrilhas rivais, e o menino foi atingido. Ele caiu e inicialmente a mãe supôs que ele houvesse levado um tombo. Ela própria levou a criança ao Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha (mesma região), onde foi constatado o ferimento por tiro. Após uma cirurgia para limpar a região ferida, Asafe foi transferido para o Hospital Adão Pereira Nunes.

A Polícia Civil investiga de onde partiu o disparo, mas por enquanto não esclareceu o caso. O Sesi fica próximo dos morros das favelas do Chapadão e da Pedreira, áreas onde há constantes confrontos entre criminosos ou desses com policiais.

Segunda morte. Na tarde de sábado (17), uma menina de 4 anos morreu atingida na cabeça por uma bala perdida em Bangu, na zona oeste do Rio.

Larissa Carvalho havia acabado de sair de um restaurante com os pais quando foi atingida, em uma esquina do bairro. Esse caso também é investigado pela Polícia Civil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.