WILTON JUNIOR / ESTADÃO
WILTON JUNIOR / ESTADÃO

Morre no Rio adolescente atingido por bala perdida

Kauã, de 11 anos, foi atingido em meio a troca de tiros entre criminosos e policiais na Vila Aliança. Ele estava internado há seis dias

Fábio Grellet, O Estado de S.Paulo

17 de maio de 2019 | 00h34

RIO - O estudante Kauã Rozário, de 11 anos, teve morte cerebral confirmada pela Secretaria Municial de Saúde nesta quinta-feira, 16, seis dias após ser atingido por uma bala perdida enquanto andava de bicicleta na Vila Aliança (zona oeste do Rio). Desde que foi baleado, o menino permanecia internado no Hospital Albert Schweitzer, em Realengo, na mesma região.

Kauã foi atingido durante um tiroteio que deixou um homem morto e outro ferido. Segundo testemunhas, policiais militares perseguiam dois homens em uma moto quando houve tiroteio e três pessoas foram baleadas. O mototaxista Leonardo Rodrigues, de 25 anos, morreu na hora. Parentes disseram que ele estava trabalhando e não tinha nenhum envolvimento com criminalidade.

Além de Kauã, outra pessoa ficou ferida, mas seu nome não chegou a ser divulgado. Essa vítima já se recuperou, segundo a polícia. Parentes de Kauã e de Rodrigues afirmaram à imprensa que não havia operação no momento dos disparos.

Em nota, a Polícia Militar inicialmente identificou os feridos como criminosos e informou ter apreendido duas pistolas, drogas e radiotransmissores. Depois a PM afirmou que os policiais estavam em patrulhamento na comunidade quando encontraram um homem morto e dois feridos.

Kauã foi submetido a uma cirurgia e permanecia internado em estado gravíssimo na UTI pediátrica do Hospital Albert Schweitzer até a noite de quarta-feira, 15, quando surgiram sintomas de que ele poderia ter sofrido morte cerebral. Foi então aberto procedimento para analisar o caso, e a morte foi confirmada nesta quinta-feira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.