Morre no Rio menina internada por causa de queimaduras

Camila dos Santos Silva, de 13 anos, teve 70% do corpo queimado em sua própria casa, no Jardim Catarina, em São Gonçalo

Carina Bacelar, O Estado de S. Paulo

31 Maio 2015 | 17h57

RIO - Morreu na madrugada deste domingo, 31, Camila dos Santos Silva, de 13 anos. Na última terça-feira, 26, ela teve 70% do corpo queimado em sua própria casa, no Jardim Catarina, em São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio, por um vizinho. Desde então estava internada no Hospital Estadual Alberto Torres, em Niterói, também na região metropolitana. O caso foi registrado na 74ª Delegacia de Polícia (Alcântara). O sepultamento de Camila ocorreu neste domingo, às 15h, no Cemitério Parque da Paz, em São Gonçalo.

Anderson Muniz de Assis, de 22 anos, confessou ter ateado fogo ao corpo da menina após invadir a casa dela para roubar um celular, dois tablets e R$ 100 em espécie. Após ter sido preso na manhã de quarta-feira, 27, por policiais militares e civis, ele disse que decidiu assaltar a casa por pensar que ela estava vazia. Ao descobrir que Camila estava no imóvel, ele esfaqueou a garota e, depois, despejou uma garrafa de álcool no corpo na menina. Por fim, ateou fogo a ela. 

Vizinhos correram para o local por causa dos gritos da jovem e levaram Camila para o hospital, mas o suspeito acabou fugindo. No corpo de Anderson, os policiais encontraram marcas de arranhões, vestígios de que Camila teria tentado reagir. A Polícia Civil chegou ao paradeiro de Assis por meio de denúncias anônimas. Ele teve prisão temporária decretada pela 4ª Vara Criminal de São Gonçalo, por roubo e tentativa de homicídio triplamente qualificado. 

Na próxima quinta-feira, 4, vizinhos de Camila prometem fazer uma passeata por justiça na entrada do bairro Jardim Catarina, às 10h30.

Mais conteúdo sobre:
Rio incêndio queimadura

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.