Wilton Júnior/Estadão
Wilton Júnior/Estadão

Mortes pela polícia voltam a crescer no 3º mês da intervenção; roubos caem

Número de mortos em confrontos chegou a 142 em maio, terceiro mês completo de vigência da intervenção federal na segurança pública. Roubos de carga, de veículo e de rua tiveram queda

Fábio Grellet, O Estado de S.Paulo

15 Junho 2018 | 18h52

RIO - Cento e quarenta e duas pessoas foram mortas em confrontos com agentes de segurança pública no Estado do Rio de Janeiro em maio, terceiro mês completo em que o Estado está sob intervenção federal na segurança pública. O dado é do Instituto de Segurança Pública (ISP), órgão subordinado à Secretaria Estadual de Segurança, que divulgou nesta sexta-feira, 15, os índices de criminalidade de maio. O número de maio é 40,6% maior que o do mês anterior, quando 101 pessoas foram mortas por agentes de segurança pública, e 46,4% maior do que o registrado em maio de 2017, quando houve 97 mortes. Roubos registraram queda.

+ Metas da intervenção no Rio vão de militares da reserva na PM a mais eventos cívicos, mostra plano

O resultado de maio foi o quarto pior desde o início da série história, só perdendo para abril e maio de 2008 (período anterior à instalação das Unidades de Polícia Pacificadora), com 147 casos, e janeiro deste ano, quando 154 pessoas foram mortas em confrontos com a polícia. A intervenção federal começou em 16 de fevereiro. Desde janeiro, o número de mortos nesse tipo de confronto se mantém em três dígitos: 154 em janeiro, 100 em fevereiro, 109 em março, 101 em abril e 142 em maio.

Outros índices de criminalidade registraram queda em maio. O roubo de veículos teve queda de 5,9% em relação ao mês anterior: foram 4.657 em abril e 4.382 em maio. A maior queda ocorreu na região que engloba os bairros de Campo Grande, Cosmos, Inhoaíba, Santíssimo e Senador Vasconcelos, com 30 casos a menos (queda de 24%) em relação a maio de 2017. Já em São Gonçalo (região metropolitana) houve aumento de 27% (141 casos a mais), quando comparado com maio de 2017.

O roubo de cargas também caiu, pelo segundo mês seguido, mas pode ter havido influência da greve dos caminhoneiros. Em maio de 2018 houve 752 roubos desse tipo no Estado, contra 892 em abril (o que indica queda de 15,7% em maio) e 1.240 em maio do ano passado (o que indica queda de 39% em maio). Segundo o ISP, os dados já vinham indicando queda de 15% nas duas primeiras semanas de abril, comparadas com o mesmo período de maio. Então a influência da greve dos caminheiros pode ter sido relativa, afirma o instituto.

O roubo de rua, classificação que engloba roubo a transeunte, de aparelho celular e em coletivo, foi outro crime contra o patrimônio que apresentou redução em maio. Foram 11.861 registros, queda de 1.972 ocorrências em relação a maio do ano anterior, uma redução de 14%. Mas em relação a abril houve aumento de 804 ocorrências (7,2%).

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.